sexta-feira, 13 de maio de 2016


Forças Armadas barram acesso de governantes aos seus gabinetes de trabalho

Os membros do Governo da Guiné-Bissau foram hoje impedidos por homens de forças de segurança, sob ordens do líder das Forças Armadas, de entrar nos respetivos gabinetes, denunciou o Executivo em comunicado.

Os incidentes aconteceram um dia depois de o Presidente da República, José Mário Vaz, ter demitido o Governo.

No comunicado, o Executivo citou a lei, que prevê "que um Governo demitido permaneça em funções até à tomada de posse de novos titulares".

No mesmo documento, o Presidente e o chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, Biaguê Nan Tan, são responsabilizados pelo bloqueio.

Segundo o Governo, houve "desacatos" que são prenúncio de uma "subversão da ordem constitucional".

O comunicado foi redigido no final de um encontro do Executivo destinado unicamente a analisar os incidentes.

No final, foi lançado um apelo para que "as forças de defesa e segurança" se mantenham "equidistantes" face à crise política e foi pedido ao Presidente da República que cumpra as suas "responsabilidades constitucionais" para com o Governo demissionário.
Rispito.com/Lusa, 13-05-16

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público