quinta-feira, 21 de julho de 2016

AVIÃO FANTASMA EM BISSAU CONTINUA FAZER NOTÍCIAS 

Um alto funcionário do aeroporto Internacional Osvaldo Vieira, confirmou que no passado dia 11 de Julho, segunda-feira, por volta de meio-dia, aterrava um avião devidamente identificado e com o plano de voo autorizado pelas autoridades aeroportuárias da Guiné-Bissau. 

Esta fonte reconheceu que o aparelho tinha bandeira da Arábia Saudita e que trouxe a Bissau alguns altos oficiais militares daquele país árabe, incluindo o ministro da Defesa.
A única inconveniência, de acordo com o que observou, seria o facto de esses oficiais não terem sidos abordados pelos Serviços da Emigração e Fronteiras no aeroporto. A mesma fonte, que não quis ser identificada, desconhece os motivos da viagem e não soube precisar quem realmente os esperava no aeroporto de Bissau. O avião não demorou em Bissau, decolou logo de seguida.   

Outra fonte governamental avança que o ministro da Defesa da Arábia Saudita, que também esteve no Senegal, reuniu-se com o ministro da Defesa da Guiné-Bissau, no âmbito de uma vista rápida a capital guineense. Disse a radio Jovem.

A Radio Rispito online dispõe de informações de fonte confiável que foram descarregadas duas maletas e transportadas pelos sete oficias da Arabia Saudita em direção a centro de cidade de Bissau, mas com conteúdo ainda desconhecido.

Porquanto, perante toda essa incógnita e descontrolada especulação que paira sobre essa situação, ainda não há nenhuma reação da Presidência da República e nem da Aviação Civil.

Recordamos que o líder do PAIGC, DSP já teria alertado recentemente em conferência de imprensa que, “um avião fantasma da proveniência desconhecida terá aterrado no aeroporto Internacional Osvaldo Vieira em Bissau, sem que ninguém conseguisse decifra-lo, bem como a carga que transportava.”
Rispito.com/Lai Balde-correspondente/Lusa, 21-07-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público