segunda-feira, 25 de julho de 2016

Deputados que sustentam o Governo ameaçam destituir a direção do parlamento

Rui Diã de Sousa
Certório Biote
Os deputados que sustentam o Governo da Guiné-Bissau ameaçaram hoje destituir a direção do Parlamento do país que acusam de "manobras para inviabilizar a governação" do primeiro-ministro, Baciro Djá. 

Em conferência de imprensa, a bancada parlamentar do Partido da Renovação Social (PRS) e o grupo dos 15 deputados dissidentes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), acusaram o presidente do Parlamento, Cipriano Cassamá, e o primeiro vice-presidente do órgão, Inácio Correia, de serem autores dessas alegadas manobras. Porque depois de mais de três horas de discussão com o Primeiro-ministro, o Presidente da ANP comprometeu-se a convocar a Conferencia de Líderes no próximo dia 27 do corrente mês e a Comissão Permanente no dia 28. Para Biote, todas essas voltas, Cipriano Cassamá está a delatar o tempo para depois encontrar motivos para alegar  que o Governo não apresentou o Programa a tempo, conforme a  lei.
Para terminar, disse que o Presidente da Republica já tem conhecimento da manobra em curo, pelo que será acionada mecanismos tendentes a evitar mais bloqueios no parlamento e o alastrar da crise na ANP.

Contudo, Rui Diã de Sousa, porta-voz dos 15 dissidentes do PAIGC, afirma acreditar que havendo vontade politica, os outros partidos representados no parlamento dispõe de mecanismos legais para se ultrapassarem de qualquer tipo de crise. Pelo que acredita que a mesa de ANP vai repensar melhor e propor uma solução para que a casa do povo possa livrar de uma vez para sempre deste impasse no seio dos parlamentares.

Cipriano Cassama
Em jeito de reação, o Presidente do Parlamento guineense em comunicado, considerou que a data proposta pelo Governo para agendamento dos debates e votação do programa de governação, não era viável, não só pela imposição regimental, como pela sua operacionalização com carácter de urgência pelo simples facto da ANP estar de férias e os deputados encontrarem-se numa grande maioria fora de Bissau e no estrangeiro. 

Por isso, o Parlamento propôs ao Primeiro-ministro, Baciro Djá as datas indicativas de 01 ou 02 de Agosto, datas essas condicionadas à decisão a tomar pela Comissão Permanente na sua reunião a ter lugar à 28 do corrente, e ser necessário seguir os procedimentos impostos pelo regimento da ANP, nomeadamente a proposta à Mesa.
Rispito.com/RDP África/Correio da Manha, 25-07-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público