terça-feira, 1 de novembro de 2016

Mais 30 dias de greve dos professores da Guine-Bissau

Enquanto a crise se agrava e arrasta, os estudantes guineenses continuam penalizados com influencia grave dos seus futuros.
Tudo porque os dois sindicatos continuam a desencadear paralisações no sector, como arma de combate e de pressão ao Governo  para cumprimento  total dos pontos constantes no caderno reivindicativo, onde os professores exigem entre outros pontos, a implementação dos estatutos de carreira docente, pagamentos dos atrasos salariais, mudança de letra, processo de efectivação, bem como a melhoria substancial de condições laborais.

O presidente da comissão negocial dos dois sindicatos, Alfredo Biaguê, levanta a questão do silêncio do governo nas negociações, como principal motivo de avançar com mais um onda de paralisação.
Rispito.com, 01-11-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público