terça-feira, 15 de novembro de 2016

Proibição de manifestações "é ato vergonhoso"

Lesmes Monteiro
O Governo guineense proibiu manifestações junto ao Palácio da Presidência contra o chefe de Estado, José Mário Vaz, lê-se num comunicado divulgado em Bissau, que dá conta da proibição de qualquer manifestação ou marcha na Praça dos Heróis Nacionais e no largo da Câmara Municipal de Bissau ambos os locais nas imediações do Palácio da Presidência.
Segundo o comunicado, a medida visa garantir liberdade de circulação aos cidadãos que não adiram às manifestações que têm sido organizadas pelo Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados contra a crise política que afeta o país há 15 meses.
O movimento, constituído na sua maioria por jovens, pretende que o Presidente guineense renuncie ao seu mandato por ser, alegadamente, o responsável pela crise política.

defaultLesmes Monteiro, porta-voz do movimento, disse à imprensa que a polícia dispersou uma vigília que o grupo tentou realizar na segunda-feira (14.11.) à noite na Praça dos Heróis Nacionais, tendo sido agredidos alguns participantes na manifestação.
O dirigente adiantou que os protestos vão continuar, devendo ser organizados noutros lugares de Bissau.

A Liga Guineense dos Direitos Humanos já pediu ao Governo a "revogação imediata" da proibição de manifestações junto ao Palácio da Presidência, em Bissau, que classificou como um "ato vergonhoso".

Em comunicado, a Liga considera que a interdição se trata de uma "decisão inconstitucional e uma afronta" ao Estado de direito democrático.
Para a organização, a medida "é um ato vergonhoso" para um país que proclama ser democrático.
Rispito.com/DW, 15-11-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público