quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Reunião de conselho de Estado outra vez inconclusiva

Mais uma vez a classe politica protela a possibilidade de resolver a crise crónica, lançando para próxima semana, devido a conhecida e habituada falta de entendimento

Desentendimento que revela  "uma mediocridade espantosa" o nível da classe política do país perante a crise que assola as instituições da República bloqueadas devido aos conflitos pessoais, conforme Liga Guineense dos Direitos Humanos num relatório compilado num livro

O país deixou de executar políticas públicas e consequentemente tem deixado a população sem serviços básicos ao nível da saúde, educação ou acesso à justiça, acrescentou.
"Assistimos a uma crise política que foi forjada gratuitamente pela ganância da nossa classe política. A crise está a corroer as bases da nossa coesão, da nossa independência e o fundamento do nosso Estado", 

O  encontro correu bem mas ficou inclusivo, porta-voz do Conselho de Estado, José Medina Lobato, disse que tudo será retomada na próxima segunda-feira às 10 horas da manhã, dia em, possivelmente, sejam criadas de condições para que o Presidente da República possa ter elementos consensuais para nomear o novo primeiro-ministro do Governo Inclusivo. até lá, o Presidente da República, José Mário Vaz, não vai nomear um novo Governo. Ou seja, os onze conselheiros de Estado no órgão de consulta não vinculativa do chefe de Estado foram incumbidos da tarefa de tentarem falar com as partes envolvidas, durante o fim-de-semana, para levá-las a encontrar o entendimento antes de segunda-feira. 

No outro lado, Victor Mandinga membro do Conselho de Estado adverte que esta deve ser a “ultima” oportunidade   para que o PAIGC e o grupo dos “15” se entendam na apresentação dum candidato consensual para o bem do país.
Rispito.com/Lusa, 10-11-2016

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está recolocado em baixo. Obrigado. A. Keita

      Eliminar
  2. Mas que história é esta de novo?! Agora o PAIGC e os integrantes do “grupo dos 15 Deputados” desviantes e expulsos desta formação é que “DEVEM ENTENDER-SE NA APRESENTAÇÃO DE UM CANDIDATO CONSENSUAL” ao cumprimento do Acordo de Conakry? Este procedimento ou iniciativa é asneira! Senão vejamos.

    O Acordo de Conakry e o Comunicado final da visita da S. Exa. Presidente da República da Libéria e Presidente da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da CEDEAO, Sra. Ellen Johnson Sirleaf mandam em uníssono, entre outros, a reintegração incondicional dos integrantes deste “grupo dos 15” no PAIGC e sob o respeito irrestrito dos Estatutos deste Partido. Em vez de velar-se por isso está-se agora encorajar esta gente a ir negociar com esta formação a proposta de um candidato de consenso a posto do Primeiro-Ministro. Mas em nome do que? Negociar com os integrantes deste grupo como? Um por um? Então, cada um deles, já é agora uma instituição? Pois, até aqui, nunca ninguém ouviu falar de terem constituído um Partido. Eles até aqui ou são Deputados isolados sem Bancada Parlamentar no seio da ANP, ou são Deputados desviantes e expulsos do PAIGC. Negociar então assim, como? Isto é brincadeira!
    Mas para alem disto, uma tal decisão saída da reunião do Conselho de Estado. Um Órgão de Consulta. Está-se atribuir agora a este órgão prerrogativas executivas, eh? Tenham paciência!

    Mas eu me pergunto, porque é que se está a tentar sempre criar casos precedentes deste género? Porque reparem só, assim sendo, amanhã, amanhã, um outro grupinho, faz seus arranjos, saí por exemplo do PRS ou de uma outra agremiação política qualquer, fora da disciplina interna desta, e o Presi manda a agremiação em questão a ir negociar com o tal grupinho. Onde é que vamos parar com estas asneiras todas?

    Desde a eclosão desta presente vaga da situação de crise é sempre assim. Em vez de resolver o problema colocado e em vista de toda gente, cria-se um outro problema ou bases institucionais estruturais de criação de futuros problemas. Basta! Cumpram os Acordos assinados e ponto final. E, espero que o PAIGC não entre nesta asneira.

    Obrigado.
    Boa sorte para todos nós bissau-guineenses (Mulheres e Homens).
    Que reine o bom senso.
    Amizade.
    A. Keita

    ResponderEliminar
  3. A. Keita, não é que estão a criar um precedente, o PR e o PRS criaram já uma precedência ao apoiar o grupo dos 15 indisciplinados e desrespeitadores do estatuto do próprio partido... Mas criol ta fala diante ki caminho, no bai som!!!!!
    Força e coragem povo da Guiné nesta marcha.
    Até a vitória sempre!

    ResponderEliminar
  4. Para min nao existe o chamado grupo de 15 ...e nem existe o partido prs ...todos sao outra fase da cara do jomav. Portanto a crise poderá resolver so quando o jomav dé a luz verde para tal...o que está em jogo no prs é a garantía de financiamente para a próxima campanha electoral prometido por jomav atraves do seu amigo(o presidente Gambiano)...estamos juntos

    ResponderEliminar

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público