sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Agudiza-se discórdia entre parlamento e executivo

Definitivamente as relações institucionais entre o Governo da Guiné-Bissau e o gabinete do Presidente do Parlamento parecem caminhar para o abismo. Depois da denúncia de um suposto assalto ao gabinete de trabalho de Cipriano Cassamá agora é a vez do primeiro-ministro, Umaro Cissoco Embaló vir a público afirmar ter poucas certezas quanto à autenticidade da denúncia.

Diz Umaro Embaló que o alegado assalto ao gabinete do líder do Parlamento mais se assemelha a um filme, ou seja, que aquilo era tudo menos verdade.
O primeiro-ministro pediu seriedade aos restantes titulares de órgãos de soberania no tratamento dos assuntos do Estado e garantiu que enquanto for chefe do Governo não haverá violência contra o Parlamento como tem sido falado ultimamente.
O gabinete do presidente do Parlamento tem vindo a denunciar a existência de um alegado plano do Governo para um assalto ao hemiciclo e posteriormente destituir Cipriano Cassama, forjar uma nova direcção do órgão e desta feita aprovar o Programa do Governo.
Umaro Cissoco Embaló diz que nada disso se vai passar mas também assegurou que o Governo tem todas as competências legais para decidir pela substituição do corpo de segurança em qualquer instituição da República.
É que o gabinete do presidente do Parlamento acusa o Governo de ter mandado substituir o corpo de segurança no hemiciclo e daí ter sido possível ocorrer o alegado assalto.
Rispito.com/RFI, 26-01-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público