terça-feira, 21 de março de 2017

Cipriano Cassama pede ajuda à comunidade internacional

O presidente do Parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, pediu hoje aos parceiros internacionais do país para ajudarem os guineenses a saírem do impasse político que vigora há mais de ano e meio.
Cassamá reuniu-se com os representantes do chamado P5, espaço de concertação que reagrupa os embaixadores em Bissau da ONU, União Europeia, União Africana, comunidade de Estados da África Ocidental e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.
A todos entregou a proposta por si elaborada para saída da crise política na Guiné-Bissau, que passa, essencialmente, pela formação de um novo governo que incluísse os cinco partidos com assento no Parlamento.
Na proposta de Cipriano Cassamá, o novo governo seria liderado pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), vencedor das últimas eleições legislativas, mas que tem sido afastado do poder devido às divergências com o chefe do Estado.
O atual executivo, patrocinado pelo Presidente guineense, José Mário Vaz, e liderado por Umaro Sissoco Embaló, conta apenas com o apoio de uma das cinco formações com assento parlamentar e o resto dos partidos pede a sua demissão.
O líder do Parlamento guineense acredita que, com um novo executivo, rapidamente o país podia superar o impasse político.
A proposta de Cipriano Cassamá já foi apresentada ao Conselho de Estado - órgão consultivo do chefe de Estado -, mas não foi adotada, segundo o próprio.
O representante da União Africana em Bissau, o santomense Ovídio Pequeno, disse que o P5 recebeu a proposta de Cipriano Cassamá, que quer o apoio do grupo, mas irá analisá-la e apresentar a sua opinião.
"No momento oportuno diremos qualquer coisa", declarou Ovídio Pequeno.
Rispito.com/Lusa, 21-03-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público