quarta-feira, 22 de março de 2017

Oficiais de Justiça  iniciaram uma greve de cinco dias

Todos os serviços das secretarias judiciais e privativas do Ministério Público voltaram encerrados a esta quarta feira, de acordo com o pré-aviso de greve entregue ao Governo, depois de mais uma ronda negocial sem sucesso com o ministro da Justiça, Rui Sanhá.

Esta é a segunda vaga de greve dos oficiais de justiça no espaço de duas semanas, para reivindicar a efectivação do pessoal contratado há mais de 17 anos, pagamento de salários referentes às promoções já e aquisição de viaturas para o transporte colectivo do pessoal, entre outros reivindicações.

Pedro Gomes, porta-voz da Comissão da Greve,  há falta de vontade negocial por parte do Governo porque “até neste momento, ninguém se dignou em convocar o sindicato para sentar à mesa e negociar os pontos em causa.
Face a esta realidade, Sindicato dos Oficiais de Justiça considera que “o Governo terá de arcar com as consequências”.

Paulo Sanha, Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Instado sobre a situação da referencia dos grevistas a questão de devolução do cofre geral da justiça no ministério, respondeu que os oficiais só vão entrar em greve no que respeita a parte do governo, porque da parte do STJ já tiveram uma reunião sobre o caso.

Isso numa altura em que se avizinha eleições no Supremo Tribunal, do qual Paulo Sanha pediu a classe política guineense de se manterem equidistantes no processo eleitoral, no sentido de evitar situações que possam pôr em causa a transparência do processo, lembrando que o ato só diz respeito ao poder judicial e que é uma instituição independente das lutas politicas.

Ao ser confrontado com a situação de corrupção na justiça, Paulo Sanhá, não confirmou mas também não desmentiu, simplesmente respondeu a pergunta de forma inteligente, ao garantir que a sua candidatura continuará a pugnar pela aprovação dos estatutos remuneratório dos magistrados, que visa contribuir para uma verdadeira independência dos magistrados, implementação das diuturnidades, viaturas de função para todos os magistrados.

 É de salientar que Paulo Sanhá (candidato da sua própria sucessão) e Mamadú Saido Baldé, são dois a presidência do STJ Numas a eleições do presidente e vice-presidente a realizar no dia 04 de Abril de 2017 em Bissau.
Rispito.com, 22-03-2017


Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público