terça-feira, 11 de abril de 2017

 Manuel Lopes nega qualquer ato de corrupção

Foto de Braima Darame.O presidente da federação de futebol da Guiné-Bissau, Manuel Lopes, negou hoje que tenha praticado qualquer ato de corrupção como foi acusado recentemente pelo antigo vice-presidente da instituição.
Inum Embaló acusou Manuel Lopes, entre outros, de ter utilizado em proveito próprio cerca de mil milhões de francos CFA (665 mil euros), verbas disponibilizadas à federação guineense pela FIFA e CAF (Confederação Africana de Futebol).
Em conferência de imprensa hoje na sede da Federação, em Bissau, Manuel Lopes, afirmou que está pronto para responder perante a justiça para que se esclareça se realmente praticou os atos de corrupção de que é acusado.
No entanto, o dirigente disse ser estranho que se dê credibilidade as palavras de Inum Embaló, que afirmou ser "um gatuno que aldrabou a toda gente" na Guiné-Bissau até ser expulso da federação por venda de vistos.
"Expulsei o Inum Embaló da Federação porque andava a fazer falcatruas nesta instituição. Vendia vistos e decidi para-lo com isso", referiu Manuel Lopes, para justificar o que disse ser ódio de Embaló contra si.
O presidente da federação guineense sublinhou ainda que Inum Embaló agora faz-se acompanhar de pessoas que no passado trabalharam naquela instituição, mas "também corridas por falcatruas".
Manuel Lopes citou os casos dos antigos dirigentes Tony Burgo, Alberto ‘Beto’ Vaz e Carlos ‘Caíto’ Teixeira.
Manuel Lopes frisou que não pretende entrar em polémicas com Inum Embaló na praça pública, mas pediu que este abandone "a proteção especial" que está a ter no ministério do Interior, onde, disse, se encontra escondido.
"Não vou responder a Inum Embaló, mas a justiça está aqui para atuar. Se eu cometer algo de errado, então que a justiça atue. Entrego-me à justiça a partir de hoje", observou Lopes que também não gostou da cobertura mediática dada à conferência de imprensa de Embaló.
O presidente da federação guineense de futebol diz ser "uma vergonha" que a televisão pública do país "deixe que um gatuno" use aquele órgão para denegrir a sua imagem e que a RTP e os órgãos portugueses também façam a mesma coisa.
"Não me surpreende que os órgãos de comunicação social de Portugal dêem voz a Inum Embaló porque Portugal nunca quer bem da Guiné-Bissau", enalteceu Manuel Lopes.
Rispito.com/Lusa, 11-04-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público