quarta-feira, 10 de maio de 2017


Ao
Image result for inum embalo guine bissau
Inum Embaló
Gabinete de Luta Contra a Corrupção
E Delitos Económicos
Do Ministério Público
BISSAU

QUEIXA-CRIME

No passado dia 4 do corrente mês de Abril de 2017, o ora denunciante e signatário da presente denúncia realizou uma conferência de imprensa para dar conhecimento à opinião pública nacional e internacional de irregularidades verificadas na Federação de Futebol da Guiné-Bissau.(em anexo-Comunicado de Imprensa)
Naquela ocasião informou que em 2016, aquela instituição de futebol guineense recebeu da CAF (Confederação Africana de Futebol) cerca de 400.000.000 F CFA (Quatrocentos Milhões de Francos CFA), apesar de nas vésperas do Campeonato Africano das Nações a Federação de Futebol da Guiné-Bissau ter declarado que não dispunha de meios financeiros para assegurar a participação do país naquele maior evento de futebol do nosso continente.

Na sequência dessa conferência de imprensa, a Federação de Futebol da Guiné-Bissau realizou, por sua vez, e em jeito de resposta, uma conferência de imprensa no dia 11 de Abril do corrente ano, na voz do seu Presidente.

Nessa ocasião, aproveitando da afirmação do ora denunciante, que na sua conferência de imprensa disse que uma tranche dos cerca de 400.000.000 F CFA recebidos da CAF no quadro de apoio e prémios de jogos durante a nossa participação no Campeonato Africano de Futebol foi transferida através duma conta bancaria num dos bancos de cidade de Bissau, disse o Presidente da FFGB, que eram falsas as declarações do ora denunciante em como tinha recebido daquela instituição de futebol africano aquele montante, mas, sim, apenas 138.000.000 F CFA, recebidos no dia 16 de Novembro, e não os anunciados 400.000.000 F CFA.(em anexo-gravação das declaração)

Com isso estamos perante um caso de flagrante delito.

Pois, se em Dezembro de 2016, na véspera do início do CAN, a Federação anunciou que não tinha dinheiro, quando, a final, recebeu no dia 16 de Novembro de 2016 aquele montante de 138.000.000 F CFA sem declarar ninguém, é porque estamos perante uma mentira, e é bom saber o que se fez com aquele montante, se a Federação não contribuiu com nada para a nossa participação no CAN.
                  
Por outro lado, o Presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau pensou que, ao ter feito apenas referência a essa tranche transferida no dia 16 de Novembro de 2016, o ora denunciante ignorava ou não tinha prova da transferência de outras tranches daqueles cerca de 400.000.000 F CFA.Mas enganou-se.

Com efeito, a Federação de Futebol da Guiné-Bissau recebeu da CAF outras tranches antes e depois do dia 16 de Novembro de 2016.

Neste sentido, recebeu:
1.     No dia 14-07-16.Um valor------34.500.000 F CFA
2.     No dia.Um valor------------------37.000.000 F CFA
3.     No dia.Um valor------------------40.500.000 F CFA
4.     No dia 16-11-16.Um valor----138.460.000 F CFA(-460F)
5.     No dia 14-12-16.Um valor-----146.000.000 F CFA

Ora, se a Federação não apresenta as contas desde 2015,
Se nas vésperas do CAN anunciou não dispor de meios,
E se, a final, recebeu cerca de 400.000.000 F CFA em várias tranches, algumas das quais antes do dia 16 de Novembro de 2016 e outras depois dessa data, estamos perante fortes indícios de desvio de fundos.

Pois, não se vê motivos para a tanta mentira da FFGB, na pessoa do seu Presidente, se os referidos montantes tivessem sido dados a um destino certo.

Nestes termos e nos melhores de direito, e sempre com o mui douto suprimento dos Meritíssimo, pede o ora do queixoso que o Ministério Público, através deste Gabinete, promova um processo-crime contra o Presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau com vista a apurar o destino dos fundos recebidos da CAF em virtude do apuramento e participação do nosso país a fase final do CAN 2017.

O Queixoso
 Inum Embalo


Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público