quarta-feira, 10 de maio de 2017

Capital FM apresenta queixa-crime contra Bamba Banjai

 A direção da rádio privada da Guiné-Bissau, Capital FM, apresentou hoje na Procuradoria-Geral do país uma queixa-crime contra o ativista político Bamba Banjai por alegado crime de ameaça à integridade da estação e dos seus profissionais.

Lassana Cassamá, diretor da Capital FM, indicou aos jornalistas que a estação avançou com a queixa-crime contra Bamba Banjai, também diretor-geral da Viação e Transportes Terrestres, por ser sentir "ameaçada e incomodada" com as suas declarações proferidas em abril.
Numa conferência de imprensa, em Bissau, no passado dia 21 de abril, Bamba Banjai ameaçou encerrar a rádio, no prazo de 30 dias, caso a direção não parasse com um programa interativo com os ouvintes.
Mesmo com as ameaças, a direção da Capital FM recusa-se a suspender o programa Frequência Ativa, em que os ouvintes comentam, por telefone, temas da atualidade politica e social do país.

Bamba Banjai considerou que o programa permite aos ouvintes proferirem insultos contra as autoridades do país, nomeadamente o Presidente guineense, José Mário Vaz e o primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló.

Lassana Cassamá espera que a ação contra Banjai "sirva de exemplo" contra a classe política guineense que, disse, tem nos jornalistas o "bode expiatório das suas lutas".

Bamba Banjai, que já se retratou publicamente e pediu desculpas pelas suas declarações que disse terem sido mal interpretadas, é um conhecido ativista político ligado ao grupo dos 15 deputados expulsos do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).
Rispito.com/Lusa, 10-05-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público