domingo, 14 de maio de 2017

PRS pronto ou não para cumprir acordo de Conacri

O primeiro vice-presidente do PRS, Serifo Djaló, afirmou na passada sexta feira (12 de Maio), que o partido está pronto para cumprir o acordo de Conacri, "desde que ajude o país a sair do embrulho em que se encontra". As declarações estão a gerar alguma perplexidade e espera-se que o partido corrobore com as afirmações ou então desaprove a posição do vice-presidente do PRS.

Serifo Djaló, primeiro vice-presidente do Partido da Renovação Social, fez esse pronunciamento em como o PRS "não ia contra os apelos da comunidade internacional" e que estaria "disponível para cumprir com o Acordo de Conacri, desde que sirva para acabar com a crise política". Hoje, nos círculos políticos guineenses, não se fala de outra coisa.

Todos comentam as declarações de Serifo Djaló, ele que é um dos barões do PRS e actual elemento da direcção do Parlamento guineense. O que se pergunta agora é que se as declarações de Serifo Djaló reflectem mesmo a posição da direcção do partido... Dias a seguir, ou o tempo será o juiz perfeito dessa questão.

Segundo apurou RFI, as palavras de Djalo não terão caído bem entre alguns sectores do partido fundado pelo defunto Presidente, Kumba Ialá. Seja como for, Serifo Djalo entende que o PRS nada pode fazer que não seja alinhar-se com a comunidade internacional na busca de uma saída para crise politica que assola a Guiné-Bissau há quase dois anos.

A posição do vice-presidente do PRS, que se aguarda agora que seja corroborada ou não pela direcção do partido, vai ao encontro daquela defendida por partidos como PAIGC, PCD, PND e União para Mudança. Todos eles concordaram em afirmar que o Acordo de Conacri é o único caminho para tirar o país do impasse. E que os apelos e as ameaças de sanções do conselho de segurança da ONU devem ser levados à serio.
Rispito.com/RFI, 13-05-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público