domingo, 4 de junho de 2017

Reunião com CEDEAO na presença do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu

Os chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental reúnem-se hoje na Libéria para debater a crise na Guiné-Bissau, com a presença do primeiro-ministro israelita e a ausência do rei de Marrocos.
A crise política na Guiné-Bissau, iniciada em 2015, levou à intervenção da CEDEAO e ao estabelecimento do Acordo de Conacri, que continua sem ser aplicado no país, apesar de a organização ter admitido a imposição de sanções a quem criasse obstáculos à sua execução.
Além da crise na Guiné-Bissau, os chefes de Estado e de Governo também vão debater a situação no Mali.
A surpresa da 51.ª sessão ordinária dos chefes de Estado e de Governo da CEDEAO é a presença do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.
Durante a cimeira, Benjamin Netanyahu deverá assinar acordos de cooperação com a CEDEAO em várias aéreas, incluindo agricultura, segurança e tecnologia.
A presença de Israel na cimeira levou o rei de Marrocos, Mohammed VI, a anunciar que não estará presente no encontro, que deverá analisar a adesão de Rabat à CEDEAO.

Em Fevereiro passado, Marrocos manifestou o desejo de ser ´membro pleno´ da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, fundada em 1975, e em que Rabat tem o estatuto de observador.
Marrocos é promotor de um ambicioso projeto, anunciado no início de Dezembro de 2016, ou seja, a construção de um gasoduto entre a Nigéria e o reino através da costa atlântica.

Os chefes de Estado e de Governo da CEDEAO vão também escolher o novo presidente em exercício da organização, já que a Presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, termina funções em Outubro.
Rispito.com/Lusa, 04-06-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público