quinta-feira, 10 de maio de 2018

Guiné-Bissau anuncia regresso às negociações do acordo de pesca com UE

A Guiné-Bissau vai retomar as negociações do acordo de pesca com a União Europeia, anunciou o primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes. 
“Vamos dar instruções para que nós retomemos as negociações com a União Europeia no domínio das pescas”, afirmou Aristides Gomes.

O chefe do Governo guineense falava na quarta-feira à noite na festa do Dia da Europa, que decorreu nas instalações da União Europeia em Bissau. O governante explicou que, apesar de o acordo de pesca ser um dossiê comercial, a União Europeia, sendo o principal doador do mundo, “tem levado essas negociações na base de um espírito de cooperação, de solidariedade e não na base puramente comercial”.

A parceria no setor da pesca entre a União Europeia e a Guiné-Bissau terminou em novembro de 2017, sem que as partes tivessem chegado a acordo para a sua renovação. O acordo permite que navios de Espanha, Portugal, Itália, Grécia e França pesquem nas águas guineenses e inclui a pesca de atum, cefalópodes (polvos, lulas, chocos), camarão e espécies demersais (linguados e garoupas).

No discurso, Aristides Gomes disse também contar com o apoio da organização europeia para as eleições legislativas, que se devem realizar a 18 de novembro. “Nesta fase, em que estamos a preparar as eleições na Guiné-Bissau, vamos contar com a União Europeia, como sempre contamos em todos os aspetos”, disse o primeiro-ministro. “Já conhecemos o montante avançado pela Comissão Europeia” para o financiamento das eleições, disse, sem dar mais pormenores.

O primeiro-ministro guineense sublinhou também que a Guiné-Bissau espera continuar a contar com a União Europeia no “acompanhamento e solidariedade” para “resolver os problemas internos de desenvolvimento e democracia”.
Rispito.com/Observador, 10/05/2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público