segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Formalmente, o Supremo Tribunal de Justiça-STJ não recebeu nenhuma candidatura para presidenciais 24 Novembro. 

NOTAS-FONTES PARTIDÁRIAS
As apresentações foram abertas há cinco dias(1 agosto) e vão até 25 setembro.
Até aqui, as movimentações políticas quase se resumem à nível interno dos partidos políticos, salvo as duas intenções de candidaturas independentes já manifestadas por Carlos Gomes Júnior, antigo Primeiro-ministro e Vladimir Deuna, dirigente do Madem-G15.
Carlos Gomes Júnior- Cadogo Filho, ex-Presidente do PAIGC, vítima de golpe militar em plena segunda volta das presidenciais de 2012, manifestou publicamente a intenção de se apresentar como candidato independente, mas solicitou apoios de partidos com assento parlamentar.
Nesta onde de solicitações, está também o Presidente da República cessante.
José Mário Vaz-JOMAV, para um segundo mandato, escreveu ao PRS e ao Madem-g15, apelando apoio de aliados na governação dos últimos quatro anos.
Mário Vaz, com o apoio do Movimento Político Botche Candé, diz no Lenox, pretender neste segundo mandato, presidir com “Fundação Mon Na Lama”, para promover o desenvolvimento.
No mandato findo marcado pela crise politico-institucional e governativa, JOMAV teve oito Primeiros-ministros em cinco anos, comparando-se com o general João Bernardo Vieira “Nino” em 18 anos, incluíndo o período do partido único.
Desta vez, tudo aponta que Jomav não terá apoio do PAIGC, vencedor das legislativas, cujo líder foi impedido de chefiar o Governo. 
Abandonados no altar, os libertadores começam a receber intenções para as primárias, sem data marcada, mas que prometem uma seleção rigorosa. 
Serifo Nhamadjo, ex-Presidente de Transição, Cipriano Cassama, atual Presidente do Parlamento, Francisco Benante, antigo Presidente da ANP e o embaixador Mário Lopes da Rosa são possíveis concorrentes.
Também fala-se em fortes possibilidades na corrida às primárias do líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira e Paulo Gomes, terceiro mais votado nas presidenciais de 2014.
Já na APU-PDGB, o segundo mais votado nas últimas eleições presidenciais de 2014 que agora lidera o quarto-maior partido, em várias ocasiões promete vencer JOMAV. 
Nuno Gomes Na Biam, primeiro vice-presidente do Parlamento não depositou ainda a sua candidatura no STJ.
Enquanto isso, o PRS, a terceira força política no parlamento permanece um pouco discreto, mas soube-se que o antigo Ministro da Educação, Tcherno Djaló entrega a carta-manifesto à Direção Superior, solicitando apoio para às eleições. 
Algumas fontes dos renovadores apontam Florentino Mendes Pereira, atual Secretário-geral do PRS, Jorge Malú, antigo Presidente do Parlamento e Martinho Ndafá Cabi, antigo Primeiro-ministro, como sendo potenciais.
Já no Madem-G15, as cartas-intenções são abertas quarta-feira, 07, para decidir a candidatura com melhor condição e potencial vencedor. 
Nas primárias da segunda-maior força política do país, o antigo Primeiro-ministro, Umaro Cissoko Embaló, vice-coordenador do Movimento terá que enfrentar JOMAV e CADOGO FILHO. Alguém citou Carlos Vamain.
Rispito.com/A. Cande, 05-08-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público