terça-feira, 6 de agosto de 2019

Portugal ajuda campanha de reflorestação em Bafatá

Image result for Dundu Sambú bafataPortugal está a financiar um projeto para ajudar as autoridades de Bafatá a plantar árvores em seis setores que compõem aquela região leste do país, disse o governador local, Dundu Sambú.
“É um projeto bonito e que agarramos com entusiasmo”, afirmou Dundu Sambú, referindo-se ao projeto “No Limpa Bafatá” (limpemos Bafatá), financiado pelo Fundo de Pequenos Projetos da Embaixada de Portugal em Bissau.

De acordo com o governador, já foram plantadas mais de 300 plantas que se vão transformar em árvores para dar sombra e embelezamento às ruas da segunda capital da Guiné-Bissau, berço do “pai” da nacionalidade guineense, Amílcar Cabral.

Devido à ação da indústria madeireira e de corte descontrolado da própria população, Bafatá, como acontece em grande parte do território guineense, depara-se com falta de árvores nas ruas e na floresta.

A iniciativa agora lançada pelo governo regional de Bafatá, com ajuda financeira da embaixada de Portugal, tem como objetivo “minimizar riscos de catástrofes naturais e acidentes que possam advir de ventos fortes e chuvas”, observou Dundu Sambú, que pede a colaboração de toda população da região.

Para já foram plantadas árvores numa das margens do rio Geba e num bairro de Bafatá, mas, no próximo fim de semana, a iniciativa será estendida para outros bairros e escolas públicas e na mesma altura será alargada para os seis setores da região (Bambadinca, Contuboel, Gammadu, Galomaro, Sonaco e Xitole), indicou o governador.

Dundu Sambú enaltece a cooperação registada no início da campanha, destacando a presença no ato das primeiras plantações (50 pequenas árvores) de elementos do Governo regional, forças de defesa e segurança, várias associações comunitárias, mas espera contar com todos nas próximas iniciativas.

Uma das organizações não-governamentais (ONG) que se juntou à iniciativa, a associação para o desenvolvimento TESE, indicou na sua página nas redes sociais que o que se pretende “é alcançar um impacto positivo no ambiente e na saúde pública, através da educação ambiental e da educação cívica”.

Para a TESE, plantar e cuidar de árvores “é contribuir para um melhor ambiente, já que elas conseguem purificar o ar, aumentar a capacidade de infiltração de água do solo, diminuir o vento, absorver a radiação solar”.

A nova ministra da Agricultura e Florestas guineense, Nelvina Barreto tem em marcha uma campanha de reflorestação do país que se estima perdeu anualmente nos últimos tempos entre 40 a 60 mil hectares de floresta devido ao desmatamento, corte clandestino de árvores por madeireiros e queimadas.
Rispito.com/Africa 21, 06-08-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público