segunda-feira, 14 de outubro de 2019

APU-PDGB acusa Governo de favorecer ilegalmente o PAIGC

A comissão Permanente da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) instruiu a sua bancada parlamentar a tomar uma posição política, em conformidade com o posicionamento do partido, sobre a questão das correcções de omissões que “teimosamente” o governo continua a desenvolver, apesar da sua “ilegalidade e da condenação” da comunidade internacional, assim como da maioria dos partidos políticos, da sociedade civil e dos candidatos as eleições presidenciais.

da APU-PDGB, a formação política que integra o actual executivo condenou a “utilização fraudulenta” de cerca de 600 milhões de Francos Cfa, utilizados na implementação da operação que considera “ilegal e que cujo objectivo foi a obtenção de fundos para financiar actividades do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde e do seu candidato”.

“Inicialmente deveriam ser corrigidos cerca de 200 mil cidadãos eleitores. A seguir, esse número passou para 25 mil, e acabou por terminar, segundo relatório apresentado pelo governo, em 5 mil eleitores. Em termos concretos, equivale a dizer que cada cidadão eleitor corrigido custou denunciou, asseverando que “perante estas evidencias, não restam dúvidas de que esta operação, anal só foi continuada para legitimar a saída de fundos públicos para ns partidários”.

Sobre a questão da droga, “diante de um aparente envolvimento do governo, e perante as fortes suspeitas existentes”, a Comissão Permanente da APUPDGB mandatou o seu Presidente, Nuno Gomes Nabiam, a promover as diligências políticas “tidas por necessárias” para averiguação das suspeitas e tomadas de decisões políticas na defesa intransigente da imagem e do bom nome do partido.

Por outro lado, a Comissão Permanente da APU-PDGB recomendou o relançamento da comissão negocial da APU-PDGB com o PAIGC para análise e tomada de decisões, no sentido da conclusão das nomeações nos ministérios dependentes da APU-PDGB, sublinhando que a comissão de seguimento deverá instar o PAIGC a apresentar, “no mais breve trecho”, a lista dos postos para os quais pretende nomear os seus quadros, dentro dos ministérios sob a dependência da APUPDGB.

A Comissão Permanente da APU-PDGB apelou também aos membros do governo pertencentes ao partido a empenharemse na execução de todas as diligências, para que o governo proceda ao pagamento dos salários dos servidores públicos, “no mais curto espaço de tempo”.
Rispito.com/e-Global, 14/10/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público