segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Baciro Djá defende mudança e "nova cultura política" na Guiné-Bissau

O candidato às eleições presidenciais da Guiné-Bissau Baciro Djá esteve hoje na Amadora, distrito de Lisboa, para transmitir uma "mensagem de esperança e de mudança" à Diáspora guineense, defendendo uma "nova cultura política" para o país.

"Trouxe uma mensagem de esperança porque os guineenses precisam de esperança, porque muitos anos passaram e não conheceram o desenvolvimento, a estabilidade nem o progresso", disse à agência Lusa o antigo primeiro-ministro e líder da Frente Patriótica de Salvação Nacional (Frepasna), criada em 2018. Baciro Djá falava hoje à tarde, após um encontro hoje com apoiantes, na Amadora.

Depois de discursar cerca de hora e meia perante algumas dezenas de apoiantes, o candidato às eleições presidenciais de 24 de Novembro defendeu uma mudança para a Guiné-Bissau.
"É preciso mudar a Guiné-Bissau, é preciso uma nova cultura política na Guiné-Bissau, é preciso escolher uma pessoa que tenha cultura de Estado e de administração. Isso foi o que faltou na Guiné-Bissau durante vários anos", frisou Baciro Djá, durante o encontro.

O antigo primeiro-ministro guineense assume ser um dos candidatos que se perfilam para o cargo de Presidente da República, com "uma experiência política e de administração".
"É isto que quero oferecer aos guineenses: a minha experiência enquanto homem de Estado, enquanto homem da administração, mas, sobretudo, o meu capital de relações que tenho com empresas internacionais e com a comunidade internacional. Quero pôr isso à disposição dos guineenses", afirmou o candidato presidencial, recordando o seu percurso no Estado e em "todas as escadas" da administração.

Em 24 de Novembro, segundo Baciro Djá, os guineenses vão escolher o candidato "que tenha a maior experiência política e que seja um homem de Estado".

Nesse sentido, considerou que a Diáspora guineense espalhada por diversos países pode "determinar, motivar e orientar" os concidadãos a votar num candidato, deixando esse apelo às dezenas de apoiantes que o ouviram numa sala na Amadora, perto de Lisboa.
"A Diáspora é extremamente importante porque é a nossa reserva. Estive em vários países e culminei este périplo em Portugal, porque vivi em Portugal, fui emigrante, fui estudante, e conheço a realidade dos emigrantes", afirmou o candidato

O encontro estava agendado para as 14:00, mas Baciro Djá chegou quase duas horas depois e discursou cerca de hora e meia.

As eleições presidenciais na Guiné-Bissau realizam-se a 24 de Novembro, estando a segunda volta, caso seja necessária, marcada para 29 de Dezembro.
A campanha eleitoral, na qual vão participar os 12 candidatos aprovados pelo Supremo Tribunal de Justiça, vai decorrer de 01 a 22 de Novembro.
Rispito.com/RTP Noticias, 21/10/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público