terça-feira, 15 de outubro de 2019

Programa de Governo foi aprovado com votos de 52 deputados

Inauguration Parlament Guinea-Bissau (DW/B. Darame)Programa de Governo da Guiné-Bissau foi aprovado no Parlamento, com os votos de 52 deputados e sem a presença dos dois partidos da oposição.

O programa de Governo da Guiné-Bissau foi aprovado esta terça-feira (15.q10.) no Parlamento, com os votos de 52 deputados e sem a presença dos dois partidos da oposição, o Movimento para a Alternância Democrática e Partido da Renovação Social.

O programa foi votado pelos 47 deputados do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), três da Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), um do Partido da Nova Democracia e um deputado da União para a Mudança, todos na coligação no Governo.

Não foram registados votos contra, nem abstenções.

Os dois partidos da oposição - Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15) e o Partido de Renovação Social - abandonaram o hemiciclo, em protesto, depois de terem visto recusado o seu pedido para começar o período da ordem do dia com o debate sobre o tráfico de droga.

Na apresentação do programa aos deputados, o primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, disse que visa melhorar a credibilidade do país, melhorar as condições de vida da população e vai incidir sobre reformas do Estado.

Melhorar credibilidade do país

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, disse que o programa de Governo visa melhorar a credibilidade do país, melhorar as condições de vida da população e vai incidir sobre reformas do Estado.

"Este programa de Governo vai permitir elevar de modo sustentável o nível de credibilidade da Guiné-Bissau junto das entidades públicas e privadas e das instituições financeiras internacionais, assim como dos doadores em geral", afirmou Aristides Gomes (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde).

Aristides Gomes salientou que o programa aposta também na questão da segurança e estabilidade do país.

"É nessa perspetiva que se enquadra a ação do Governo para melhorar a governação económica e financeira, consolidar o Estado de Direito, aliada à luta sem tréguas e com determinação inabalável contra o crime organizado, particularmente o tráfico internacional de droga", salientou.

Para o primeiro-ministro, a ação governativa visa "restabelecer a confiança na Guiné-Bissau" para que seja mais atrativo e comece uma "espiral de criação de cadeia de valor suscetível de promover um crescimento sólido e estável para a melhoria das condições de existência" da população guineense.

Sobre as reformas de Estado, o primeiro-ministro explicou que o programa inclui a consolidação do processo de aplicação de leis e regulamentos e reformas nos domínios da defesa e segurança, justiça e administração económica, que considerou como "imprescindíveis e inadiáveis" para o desenvolvimento da Guiné-Bissau.
Rispito.com/DW, 15/10/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público