quinta-feira, 19 de março de 2020

Mário Iala já não vai dirigir a PJ guineense

A Sissoco Embaló não agradou a escolha de um nome tão polémico. Governo deverá optar por nomear a vice-procuradora-geral, Teresa Silva, para substituir Filomena Mendes Lopes.

O governo de Nuno Nabiam vai ser obrigado a recuar na ideia de nomear Mário Iala para chefiar a Polícia Judiciária (PJ) da Guiné-Bissau, depois de o autoproclamado Presidente Umaro Sissoco Embaló ter recusado o nome do delegado do Ministério Público, por ser um nome polémico na questão da luta contra o tráfico de droga.

De acordo com o que foi referido ao PÚBLICO por uma fonte em Bissau, o executivo deverá optar por escolher o nome de Teresa Silva, a vice-procuradora-geral da República, para ocupar o cargo de Filomena Mendes Lopes. Fernando Mendonça, o ministro da Justiça do Governo de Nuno Nabiam, demitiu Filomena Lopes por a directora da PJ se recusar a ir a despacho, por considerar o governo ilegal.

Curiosamente, Teresa Silva é mulher do juiz-conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça Mamadu Sadio Baldé, um dos que tem votado derrotado nas decisões sobre o diferendo eleitoral em relação à segunda volta das eleições presidenciais, alinhando pelas posições de Sissoco Embaló contra as pretensões do líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira.

O autoproclamado Presidente terá torcido o nariz à nomeação de Mário Iala, porque o mesmo é visto como alguém que tentou travar o combate ao tráfico de droga, o que daria um mau sinal para a comunidade internacional.

Principalmente, quando Filomena Mendes Lopes deu provas de grande eficácia na luta contra o narcotráfico como directora-geral da PJ, tendo garantido em 2019 as duas maiores apreensões de droga da história da Guiné-Bissau, num total superior a 2,6 toneladas de cocaína apreendida e destruída.
Rispito.com/Publico

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público