terça-feira, 7 de abril de 2020

UE vai mobilizar 15 mil milhões de euros para ajudar países africano

UE vai mobilizar 15 mil milhões de euros para ajudar países africanos e outros parceiros a ultrapassarem a crise gerada pela Covid-19, visando “colmatar necessidades prementes” na saúde e na economia, foi esta terça-feira anunciado.
“África deverá enfrentar, dentro de semanas, os mesmos problemas que estamos a ter na Europa e eles precisam da nossa ajuda para conter a propagação do vírus, da mesma forma que nós precisámos de ajuda nesta crise”, afirma a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, numa mensagem vídeo publicada esta tarde.
E anuncia: “É do nosso interesse garantir que este combate é bem-sucedido em todo o mundo e é por isso que a UE está a garantir mais de 15 mil milhões de euros para ajudar os nossos parceiros mundiais para lutar contra o novo coronavírus”.
Segundo a líder do executivo comunitário, esta ajuda financeira “pode ajudar a colmatar necessidades prementes no setor da saúde e também irá apoiar a economia nestes países, para manter as pessoas empregadas”.
Ursula von der Leyen, que estipulou como prioridade do seu mandato a cooperação da UE com África, deixa ainda garantias de que “mais dinheiro será mobilizado” para estes parceiros da UE, verbas que terão por base os orçamentos nacionais dos Estados-membros, “num verdadeiro espírito de equipa europeu”.
Só vamos ganhar esta batalha com uma resposta global e coordenada e, por isso, temos de apoiar os nossos parceiros”, salienta a responsável.
Observando que “as coisas provavelmente ficarão piores antes de melhorarem”, Ursula von der Leyen adianta que “a UE está pronta para coordenar uma resposta internacional e forte à pandemia“.
“Nós podemos combater este vírus se nos mantivermos unidos e trabalharmos em conjunto”, conclui na mensagem.
O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil. Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados. 
Rispito.com/Lusa, 07/04/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público