quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Ministério Público pede prisão preventiva para diretor-geral de Migração e Fronteiras

Advogado do diretor-geral dos Serviços de Migração e Fronteiras foi detido por alegado envolvimento no desaparecimento de cocaína.
O advogado do diretor-geral dos Serviços de Migração e Fronteiras, detido por alegado envolvimento no desaparecimento de cocaína, disse esta quarta-feira que o Ministério Público pediu prisão preventiva para o seu constituinte, mas continua a aguardar uma decisão.
"Ontem (terça-feira) foi ouvido pelo Ministério Público, que pediu prisão preventiva e pelo juiz de instrução. Estamos a aguardar uma decisão", disse à Lusa o advogado Carlitos Djedjo.

O diretor-geral dos Serviços de Migração, Estrangeiros e Fronteiras, tenente-coronel Alassana Djaló, foi detido pela Polícia Judiciária por alegado envolvimento no desaparecimento de 83 cápsulas de cocaína.

O Ministério do Interior suspendeu na segunda-feira o tenente-coronel, alegando com a "dinâmica que se pretende imprimir na Direção-Geral de Migração e Fronteiras".
Rispito.com/Correio da Manha, 17/09/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público