quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Níger promete ajudar a levantar sanções da ONU sobre militares guineenses

Questionado sobre o que Níger poderia fazer em relação a um grupo de 11 oficiais militares guineenses sancionados pelas Nações Unidas, o Presidente prometeu ajudar a resolver a situação.

O Presidente do Níger, Mahamadou Issoufou, que esta quarta-feira visitou Bissau, capital da Guiné-Bissau, durante cinco horas, prometeu trabalhar a nível das Nações Unidas para o levantamento das sanções impostas a alguns oficiais militares guineenses.

O chefe de Estado nigerino falava numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo guineense, Umaro Sissoco Embaló, momentos antes de deixar Bissau de regresso a Niamey.

Questionado sobre o que o Níger poderia fazer em relação a um grupo de 11 oficiais militares guineenses sancionados pelas Nações Unidas desde maio de 2012, na sequência de um golpe de Estado por eles protagonizado, Issoufou prometeu ajudar a resolver a situação.

O levantamento das sanções (aos militares) será uma viragem de página no clima de instabilidade dos últimos anos. Enquanto membro não permanente do Conselho de Segurança, o Níger tudo fará para criar as condições para o levantamento dessas sanções”, disse o líder nigerino.

Umaro Sissoco Embaló, por seu lado, afirmou que “vai chatear a cabeça” do seu homólogo sobre esta questão por considerar que os “militares já se comportam de forma republicana”.

Mahamadou Youssufo, cujo país preside desde setembro ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, disse ser “desejo ardente” do Níger ver a Guiné-Bissau “normalizada, com paz, segurança e estável, para que possa pensar em se desenvolver”, observou.

Youssufo considerou o “Presidente Embaló um irmão” e este, por sua vez, chamou-o de “um pai”, pelos conselhos sobre a paciência e a sapiência que um líder deve ter, frisou o Presidente guineense, referindo ser um “grande dia para a Guiné-Bissau” por receber a visita de um estadista, um pan-africanista.

“Guiné-Bissau recebeu hoje [quarta-feira] um grande homem de Estado, um pan-africanista engajado. Você é para mim uma referência enquanto líder, um grande homem de Estado”, declarou Sissoco Embaló para quem a visita de Muhammadou Youssufo trará impacto na imagem da Guiné-Bissau.

Umaro Sissoco Embaló comentou algumas situações que o Níger enfrenta, nomeadamente a luta contra o jihadismo e o crime organizado, lamentando serem flagelos mundiais, mas frisou que a Guiné-Bissau ainda não tem aqueles problemas.

“Mas temos outros problemas, por exemplo, o tráfico de droga. É um dos meus combates desde que cheguei ao poder, um combate diário para que a Guiné-Bissau não seja um mercado de droga”, observou Sissoco Embaló.
Rispito.com/Observador, 01/10/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público