quarta-feira, 23 de março de 2016

Instabilidade politica trava os apoios prometidos na mesa redonda

A instabilidade politica da Guiné-Bissau que começou com a demissão do primeiro governo da legislatura está a travar o apoio dos doadores internacionais

Quem afirmou é o Ministro da Economia e Finanças guineense, em jeito de balanço passado um ano depois da mesa redonda realizada em Bélgica.

Geraldo Martins lamentou o desentendimento que está a provocar a inatividade do governo em prol dos compromissos assumidos com o povo. Mas disse que devido o esforço notável do executivo, a produtividade do governo não se pode considerar negativa.

Cinquenta por cento de desempenho é a classificação atribuída pelo ministro da Economia e Finanças tudo porque  não ha acordos com metade dos parceiros. Quanto aos principais projetos, os parceiros "estão à espera de ver mais claramente o que vai acontecer no país, ou seja, se haverá ou não programa de Governo"

Se as disputas sobre lugares no parlamento forem resolvidas de forma a garantir que o programa do Governo eleito em 2014 apresentado no encontro de doadores continua em vigor, "isto é fácil". "Basta tudo normalizar para irmos a um ritmo muito mais rápido", disse Geraldo Martins pretendendo que até ao fim do ano sejam estabelecidos acordos com todos os doadores.
Rispito.com, 23-03-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público