segunda-feira, 25 de abril de 2016

FARP voltam a participar nos encontros de CPLP

Biaguê Nan Tan, chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) da Guiné-Bissau, participa de 27 a 29 de abril, em Maputo, na 18.ª Reunião Ordinária dos CEMGFA da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), anunciou a estrutura militar em comunicado.

O encontro vai "analisar a situação político-militar" no mundo e "questões internacionais de defesa e segurança com eventuais implicações para os países membros", adiantou o gabinete do CEMGFA guineense.
Há ainda temas mais específicos para tratar, caso dos "mecanismos de resposta coordenada da CPLP a catástrofes e desastres naturais" e da revisão do "protocolo de cooperação da comunidade no domínio da defesa".

Biaguê Nan Tan saiu de Bissau no domingo tendo com o destino Maputo, acompanhado pelo chefe de serviço de protocolo do Estado-Maior, major Arafam Camará.

O atual CEMGFA da Guiné-Bissau assumiu funções há ano e meio, depois de o Presidente da República, José Mário Vaz, na altura recém-eleito, ter afastado do cargo o general António Indjai.

Indjai faz parte de lista das Nações Unidas que proíbe de viajar 11 pessoas que estiveram ligadas ao comando militar que liderou o golpe de Estado de 2012.

Biaguê Nan Tan tem defendido o afastamento dos militares em relação à política, para acabar de vez com o envolvimento em golpes de Estado e limpar a imagem das forças armadas.

Os quartéis têm-se mantido sossegados, mesmo apesar da crise política aberta entre Governo e Presidente da República e que dura desde agosto do último ano.

Esta é a segunda vez consecutiva que o líder das forças armadas da Guiné-Bissau está presente num encontro da CPLP, um cenário novo para o país, cujo anterior chefe militar não pode viajar para o estrangeiro.
Rispito.com/Lusa, 25-04-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público