quarta-feira, 25 de maio de 2016

Ministério Publico interpõe ação civil contra  Governo de DSP

O Ministério Publico através do Gabinete de Advocacia do Estado intentou uma ação civil contra o então Governo do DSP, com vista a nulidade de um contrato de compra do título de divida privada com o Banco da África Ocidental (BAO) e o Banco da União (BDU), em Junho e Novembro de 2015, respetivamente, no valor de 35.227.275.993Xof (trinta e cinco biliões duzentos e vinte sete milhões, duzentos e setenta e cinco mil e novecentos e noventa e três francos CFA.

Uma divida segundo o Ministério Publico indicando o contrato assinado entre as partes seriam inscritos no Orçamento Geral do Estado (OGE) do ano económico de 2016, com um juro de mora de 07,5% sobre o valor em causa. 

O Ministério Publico afirma enquanto fiscal da legalidade democrática, detentor da ação penal e defensor do interesse publico que “essa pratica e susceptível de crime e vai contra a lei de enquadramento do OGE, do Código de Transparência das Finanças Publicas e da Lei do OGE”.

A Procuradoria-Geral da Republica mandou levantar parcialmente algumas contas públicas congeladas “tendo em conta as necessidades do país”. Solicitando às informações sobre o montante necessário para o pagamento de salário aos funcionários públicos referente ao mês de maio, junto ao Ministério da Economia e das Finanças, como se fez com o Instituto Nacional da Previdência Social bem como das contas bancarias dos hospitais, dos projectos ligados a saúde pública e EAGB.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 24-05-16

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público