sexta-feira, 14 de outubro de 2016

CRISE DA GUINÉ-BISSAU - ACORDO DE CONAKRY

CONTEXTO
Image result for bandeira da guine conakryA convite da CEDEAO, o mediador Professor Alpha Condé, Presidente da República da Guinée-Conakry, partindo de uma reunião de consulta sobre a situação na Guiné-Bissau realizou-se em Conakry de 11 a 14 de Outubro de 2016 uma negociação para ultrapassar a crise. Os participantes do encontro foram, o presidente da ANP, o Primeiro-Ministro, PAIGC, PRS, PND, PCD, UM, líderes religiosos e representantes da sociedade civil.

Esta reunião de Conakry faz parte da implementação do Roteiro de seis pontos de CEDEAO denominado "Acordo da crise política na Guiné-Bissau".

Os pontos de acordo
Na sequência do debate, os partidos da Guiné-Bissau acordam o seguinte:
  • O procedimento de consenso para a nomeação de um Primeiro-Ministro e a formação de um governo inclusivo num fluxograma negociado por consenso com todos os partidos políticos representados na Assembleia Nacional Popular, de acordo com a sua representação proporcional; O primeiro-ministro deve permanecer no local até no próximo ato legislativo em  2018;
  • O governo deverá estar aberto a figuras independentes e da sociedade civil;
  • Compromissos públicos para cargos seniores serão efectuados em conformidade com os textos e procedimentos;
  • Uma mesa redonda inclusiva serão organizadas dentro de 45 dias a contar da nomeação do primeiro-ministro. Esta mesa redonda deve desenvolver e adotar um pacto de estabilidade assinado pelas principais forças políticas e sociais, sobre os princípios:

  1. Prestação de contas e transparência na tomada de decisão institucional;
  2. Reformar a constituição para estabelecer relações estáveis ​​entre o executivo, legislativo e judiciário;
  3. Reforma da lei eleitoral para a organização das eleições legislativas e locais em 2018;
  4. Uma nova lei sobre os partidos políticos, incluindo o financiamento público dos partidos políticos em proporção do seu peso na Assembleia Nacional Popular;
  5. Reforma do setor de defesa, segurança e justiça;
  6. para iniciar a implementação de um programa de desenvolvimento a seguir a visão "Terra Ranka"
  • O Pacto de Estabilidade será apoiado técnica e financeiramente pela comunidade internacional, incluindo a Comunidade Económica dos Estados Oeste Africano, a União Africano, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, as Nações Unidas e a União Europeia ;
  • O estabelecimento de um quadro de monitorização e avaliação em três níveis para garantir a estabilidade do processo:

  1. Ao Provedor de Justiça, que se reportará à Conferência dos Chefes de Estado da CEDEAO no Conselho de Ministros da CEDEAO;
  2. A Representação da CEDEAO na Guiné-Bissau, estará em estreita cooperação com a parceria do grupo P5 e outros parceiros internacionais representados em Bissau;
  3. Seguindo as recomendações do roteiro da CEDEAO assinado em Bissau em 10 de Setembro, a restituição incondicional de 15 deputados dissidentes dentro do PAIGC, em conformidade com os estatutos do PAIGC;

CONCLUSÕES
Os participantes agradeceram o mediador da CEDEAO, Professor Alpha Condé, Presidente da República da Guiné pela sua hospitalidade Africano, liderança e seu conselho sábio e som que permitiu aos participantes para ouvir, compartilhar e entendimento num espírito de fraternidade e de tolerância, com os melhores interesses da Guiné-Bissau acima de tudo.

Eles também agradecer aos Chefes de Estado da CEDEAO para o seu monitoramento constante, as Nações Unidas, a União Africano, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Senegal, Serra Leoa, Libéria e Angola pelo apoio e o seu apoio ao povo da Guiné-Bissau.

Os participantes comprometem-se a contribuir de boa fé para a implementação efectiva dos acordos de Conacri e, mais amplamente, do roteiro da CEDEAO assinado em Bissau 10 de setembro de 2016.

Feito em Conakry, 14 de Outubro de 2016

Assinámos

1 - Por Assembleia Nacional Popular - Cipriano Casama

2 -Para o Governo - Aristides Ocante da Silva

3 - Para o PAIGC - Domingos Simões Pereira

4 - Para o PRS - Florentino Mendes Pereira

5 - No 'Grupo dos 15' - Braima Camara

6 - Para o PND - Malam Djaura

7 - Para a PCD - Vicente Fernandes

8 - Para a UM - Agnelo Regalla

Rubricado por:

1Presidente da República da Guiné - Mediador de CEDEAO - Profeseur Alpha Conde

2 - Presidente da Comissão da CEDEAO - Marcel de Souza

3 - O Representante da Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Guiné-Bissau - Modibo Ibrahim Touré

4 - O director-adjunto da Secretaria de Política Divisão das Nações Unidas - Fattau Musa

5 - O Representante da União Africano na Guiné-Bissau - Ovidio Pequeno

6 - O Delegado Geral da União Europeia para a República da Guiné;

7 - O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Serra Leoa - Samura Kamara

8 - Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros da República de Angola -  Manuel Augusto

9 - Embaixador do Senegal para a Guiné - Anna Faye
Rispito.com 14-10-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público