domingo, 22 de janeiro de 2017

DJURTUS AFASTADOS DE CAN2017

Foto de Umaro Djau II.A seleção do Burquina Faso, orientada pelo português Paulo Duarte, venceu este domingo a congénere da Guiné-Bissau por 2-0, garantindo o primeiro lugar do grupo A da CAN e consequente apuramento para os quartos de final da prova.
Nakoulma, aos 12 minutos, e Bertrand Traoré, aos 58, foram os autores dos golos da formação orientada pelo técnico português. Assim, o Burquina Faso passou a somar cinco pontos, os mesmos dos Camarões, que também se apurou para a próxima fase.

A jogar contra o Gabão, país anfitrião da prova, os "leões indomáveis" não foram além de um nulo, suficiente para garantir a qualificação. Os organizadores da prova ficaram na terceira posição do grupo, com três pontos, mais dois do que a Guiné.

Camarões empataram com o Gabão e são a outra equipa do grupo A a apurar-se para os quartos de final da prova.

Os Djurtos perderam a partida que ditava o apuramento da fase seguinte, mas sempre conseguiram o mérito da vitoria de participação, por alem demais, a Guiné-Bissau tem muitos valores que poderão manter a tradição continua da participação futura do país.

Assim como em 2016 o pontapé de Éder fez história em França ao dar o primeiro título de sempre à seleção A de Portugal.
Agora imagine que esse pontapé, em vez de acontecer no dia 10 de Julho de 2016, acontecia hoje. Não era impossível de todo, bastava que Éder, luso-guineense, tivesse optado por envergar as cores da Guiné-Bissau ao invés das 5 Quinas. E não é caso único.

São vários os casos de luso-guineenses (Bruma, Éder, Carlos Mané, etc.) que optaram por envergar as Quinas ao peito, em vez das cores de Guiné-Bissau. Mas e se tal não tivesse acontecido? Que equipa é que a Guiné poderia ter levado para a Taça das Nações Africanas? 
Rispito.com/Lusa, 22-01-17

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público