sexta-feira, 10 de março de 2017

Dirigentes políticos declinam convite para discutir crise do país na Guiné-Conacri

Foto de Braima Darame.O encontro de dirigentes políticos da Guiné-Bissau era previsto nesta sexta feira, 10 de Mrço,  na Guiné-Conacri, com o objetivo de procurar uma saída para crise no país, não poderá  se realizar devido à recusa, por diferentes razões, de algumas das partes.
Fonte da CEDEAO, em Bissau, contactada pela Lusa indicou ser "ainda pouco clara" a ida ou não dos dirigentes guineenses à Conacri como estava prevista.
Certório Biote, líder da bancada parlamentar do Partido da Renovação Social (PRS), segunda força politica no Parlamento, mas que sustenta o atual governo guineense, indicou que o seu partido não vai à Guiné Conacri por não ter sido convidado oficialmente.
"O PRS enquanto partido político não recebeu formalmente o convite de Alpha Condé para se deslocar à Conacri", afirmou Certório Biote, que também entende que "o problema da Guiné-Bissau deve ser resolvido no país".
O encontro devia juntar à volta da mesma mesa, representantes dos cinco partidos com assento parlamentar (PAIGC, PRS, PCD, UM e PND), o governo, o presidente do Parlamento e o representante do grupo dos 15 deputados dissidentes do PAIGC.
Em nome do grupo dos 15 deputados, Braima Camará, também considerou que a crise do país deve ser tratada e resolvida a nível interno. Camará indicou que ainda não há uma decisão sobre se o grupo vai estar representado ou não.
O primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló, também declinou o convite de Alpha Condé que não reconhece idoneidade suficiente para continuar a mediar a crise política na Guiné-Bissau.
O secretário nacional do PAIGC, Aly Hijazi, precisou que o partido está pronto para participar no encontro na pessoa do seu líder Domingos Simões Pereira acompanhado de alguns dirigentes, disse.
Agnelo Regalla, presidente do partido União para Mudança (UM) disse à agência Lusa que está pronto para ir à Conacri.
O mediador da crise guineense, o Presidente da Guiné-Conacri, Alpha Condé, queria reunir hoje os dirigentes políticos da Guiné-Bissau desavindos para a busca do consenso que pudesse viabilizar a governação do país.
Alpha Condé é mediador proposto pela Comunidade Económica de Estados da Africa Ocidental (CEDEAO).
Na quarta-feira enviou à Bissau um emissário, Nabi Bangoura, ministro de Estado e secretário-geral da presidência que esteve reunido com vários dirigentes guineenses aos quais convidou verbalmente para estarem hoje em Conacri.
Rispito.com/Lusa, 10-03-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público