terça-feira, 4 de abril de 2017

PR defende regresso ao país dos exilados políticos 

José Mário Vaz defende o retorno de todos os guineenses que foram obrigados a viver fora da Guiné-Bissau por razões politicas. 
A posição do presidente da republica foi conhecida  nesta terça feira depois de ter recebido a organização do movimento cívico liderado por antigo ministro do interior, Fernando Gomes, que luta para o regresso de vários antigos dirigentes que fixaram residência no estrangeiro, sobretudo em Portugal.

Fernando Gomes afirmou aos microfones da comunicação social, de que o chefe de estado lhe deu a total disponibilidade de aderir a essa iniciativa e a garantia de apoio para a sua materialização.
Adianta Fernando Gomes de que, o presidente lhe disse, que nenhum dirigente ou governante tem o direito de impedir um cidadão guineense, seja ele politico ou não, de viver no território da Guine-Bissau desde que o mesmo assim queira.
Lembra-se que está nestas condições, o antigo primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, cujo o governo foi destituído por um golpe militar em Abril de 2012, Francisco Fadul e outros.

O Movimento cívico guineense liderado por Fernando Gomes, deve ainda contactar todas as autoridades guineenses, dando conta a sua vontade de ver o regresso ao país dos ex-dirigentes e informar sobre uma petição publica lançada desde Janeiro do corrente ano para o efeito.

Assim, depois de ter sido recebido pelo líder do Parlamento, Cipriano Cassamá, pelo chefe do Estado, o movimento vai, agora, encontrar-se, nesta quinta-feira, com o primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló.
De seguida terá encontros de trabalho com partidos políticos, confissões religiosas, representantes da sociedade civil e chefias militares.
Rispito.com, 04-04-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público