quarta-feira, 13 de setembro de 2017

JOSÉ MÁRIO VAZ REAGE AS DECLARAÇÕES DE ALASSANE OUATTARA

O Presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, disse na terça-feira em Lisboa, onde está a realizar uma visita, que a Constituição da Guiné-Bissau deve ser alterada para resolver o impasse político no país, mas salientou que a atual situação no país "é estável".

A Costa do Marfim preocupa-se com a Guiné-Bissau porque é importante para a estabilidade regional, justificou o chefe de Estado marfinense.
"Para mim é importante que tenha afirmado que há estabilidade no nosso país, porque os conflitos de antigamente eram resolvidos através da intervenção direta dos militares para resolução dos diferendos entre os políticos e o que se constatou depois de três anos meio comigo na Presidência da República é que os militares continuam acantonados nos seus respetivos espaços", sublinhou José Mário Vaz.

Em reação a essas declarações  José Mário Vaz, afirmou hoje que a alteração da Constituição no país é um assunto da exclusiva "competência do povo" guineense.
"A alteração da Constituição não é matéria da competência do Presidente da República, é matéria da competência dos guineenses e dos políticos. É uma matéria da exclusiva competência do povo da Guiné-Bissau e compete ao povo da Guiné-Bissau falar sobre isso", disse o Presidente, quando questionado sobre declarações do seu homólogo da Costa do Marfim.
José Mário Vaz referiu que há sempre em todo o mundo uma ou outra questão, mas acrescentou que está satisfeito com o "ambiente que se vive hoje na Guiné-Bissau".

O atual Governo da Guiné-Bissau, de iniciativa presidencial, não tem o apoio do partido que ganhou as eleições com maioria absoluta, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).
Desde as eleições em 2014, o Presidente José Mário Vaz já nomeou cinco primeiros-ministros, o último dos quais, Umaro Sissoco Embaló, em dezembro de 2016.
O impasse político tem levado vários países e instituições internacionais a apelarem a um consenso para a aplicação do Acordo de Conacri, assinado em setembro de 2016.
Rispito.com/Lusa, 13-09-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público