terça-feira, 28 de novembro de 2017

MUITA GENTE, OU POUCOS TRANSPORTES INTER-URBANOS EM BISSAU ?               

Aliu Soares Cassama
Nos últimos tempos, tenho constatado uma dificuldade enorme de transportes públicos em Bissau (TAXIS e TOCA-TOCA). As dificuldades enfrentadas pela população de Bissau para ir e vir cumprindo os seus objectivos rotineiros representa um grande desafio para o governo.

Para que essa situação seja revertida, torna-se indispensável oferecer um serviço de transporte colectivo com elevado nível de qualidade, caracterizado pelos atributos de conforto, regularidade e segurança e suportados por uma modicidade tarifária.

Entretanto, o que se verifica, na prática, são intervenções insatisfatórias do Estado, caracterizadas pela omissão, incompetência, insuficiência de recursos e/ou incapacidade de enfrentar, com sucesso, a reacção dos proprietários de automóveis particulares e de outros actores interessados na exploração do mercado de transportes.
Recentemente, inaugurou-se uma empresa de transportes inter-urbanos em Bissau mas a mesma não chega a resolver o problema dos citadinos.
Os resultados dessa situação são claramente visíveis na circulação diária dos habitantes da cidade de Bissau: Longos congestionamentos espalhados por toda a área urbana, velocidade bem abaixo de um limite mínimo que se poderia considerar razoável, níveis elevados de poluição atmosférica, excesso de stress e numerosos acidentes de viação.
Particularmente no que se refere ao transporte colectivo, as condições operacionais são extremamente desfavoráveis e prejudicam a oferta dos serviços que, por sua vez, já se encontra severamente fragilizada.
Como as condições de tráfego nos horários de PICO são muito difíceis, os TAXIS e TOCA-TOCAS acabam oferecendo um serviço de baixíssima qualidade, desrespeitando os passageiros.

IMPACTO ECONÓMICO :

A Hipotética reactivação da empresa estatal de transportes, e consequentemente uma rede de terminais rodoviários permitirá a criação de várias dezenas de posto de trabalho e estimulará o desenvolvimento económico dos locais onde serão inseridos, servindo de polo dinamizador e agregador das actividades económicas.

PROPOSTAS:
A minha proposta assenta na criação de uma rede de terminais rodoviários em pontos estratégicos da cidade de Bissau.
Considerando o crescimento da cidade de Bissau, a premência de uma solução para os problemas da mobilidade e o reconhecimento do potencial das camionetas em resolver esses problemas, o governo guineense deveria reactivar a empresa estatal que gere os transportes interurbanos, como o antigo SILO DIATA, para descongestionar a cidade.
Implantar uma faixa exclusiva numa das principais avenidas da cidade, solicitando o fundo junto das instituições financeiras sub-regionais como por exemplo: Banco Oeste Africano para o Desenvolvimento (BOAD), União Económica e Monetária Oeste Africana (UEMOA), Banco de Investimento e Desenvolvimento (BID).
Focando nestas três propostas, pode-se esperar a obtenção dos seguintes resultados:
Diminuição do tempo de espera
Diminuição dos tempos de viagem proporcionada pela circulação e aumento do conforto e da segurança dos transportes
Aumento da regularidade dos serviços oferecidos, resultado da liberdade de circulação dos veículos colectivos.
Desta forma,é amplamente fortalecida a probabilidade de um reconhecimento por parte das autoridades, para além de contribuir com uma oportuna e importante valorização do transporte colectivo urbano, única alternativa de transportes, capaz de resolver, em definitivo, as dificuldades actualmente enfrentadas pelas populações urbanas no que diz respeito à sua mobilidade.
Mestre Aliu Soares Cassamá

OBS: Todas as palavras aqui transcritas, são da inteira responsabilidade do seu titular 

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público