sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Partidos criticam actuação da comunidade da África Ocidental e do PAIGC

Um grupo de 18 partidos sem assento parlamentar criticaram, quinta-feira, em comunicado, a actuação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) no país, noticiou a Lusa.

No comunicado, o grupo manifesta o "desagrado pela falta de audição por parte da delegação da CEDEAO dos partidos sem assento parlamentar, enquanto actores políticos e tentativa de envolver a sociedade civil em pleitos políticos".

Uma missão ministerial da CEDEAO esteve no fim-de-semana passado em Bissau para avaliar a aplicação do cumprimento do Acordo de Conacri, instrumento patrocinado por aquela organização para ultrapassar o impasse político no país.

No final da missão, a CEDEAO manifestou "profunda preocupação" com a crise no país e salientou que o tempo pedido pelo chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, para ultrapassar o impasse político não teve resultados.
"O Acordo de Conacri é um instrumento nacional e obriga apenas e só os seus subscritores e compete às entidades nacionais o seu enquadramento e aplicação", salientam os partidos.

Os 18 partidos criticam também a conduta do PAIGC e do presidente da Assembleia Nacional Popular por "incentivarem a aplicação de sanções das entidades estrangeiras contra o país e o povo" guineense.
O grupo dos partidos sem assento parlamentar manifesta também o apoio ao Presidente guineense e ao primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló.
Rispito.com/Lusa, 08-12-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público