quinta-feira, 17 de maio de 2018

Governo pede apoio financeiro para eleições de Novembro

O Governo da Guiné-Bissau pediu nesta quinta-feira apoio financeiro à comunidade internacional para a organização das eleições legislativas marcadas para 18 de Novembro.

Image result for fernando delfim da silvaO apelo foi feito pelo representante nas Nações Unidas, Fernando Delfim da Silva, para quem o novo Governo guineense vai precisar de assistência financeira para assegurar os preparativos técnicos para o processo eleitoral, que deve começar com a actualização dos cadernos eleitorais e registo de novos eleitores.

Delfim da Silva falava durante uma reunião solicitada pelo Conselho de Segurança para analisar a situação do país, nomeadamente realização das próximas eleições e implementação do Acordo de Conakry, depois de ter prolongado em Fevereiro o mandato da UNIOGBIS (Gabinete Integrado da ONU para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau) por mais um ano.

O representante guineense nas Nações Unidas disse também ao Conselho de Segurança que 18 meses depois da assinatura do Acordo de Conakry foi nomeado um primeiro-ministro de consenso e um Governo inclusivo no país.

Salientando que o "maior desafio" do Governo é organizar as legislativas de 18 de Novembro, o representante insistiu que "não basta" realizar boas eleições para "haver automaticamente" estabilidade institucional.

Delfim Silva felicitou também a nomeação, no início de Maio, do brasileiro José Viegas Filho para representante especial do secretário-geral da ONU, António Guterres, na Guiné-Bissau, considerando que é uma "esperança renovada para o país".
Rispito.com/Angop, 17-05-2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público