quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

PAIGC pede ao Governo para determinar data para fim do recenseamento


O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) pediu hoje ao Governo da Guiné-Bissau para anunciar uma data para o final do recenseamento eleitoral para serem marcadas eleições legislativas.

"Há necessidade de o Governo determinar o término do recenseamento, porque há uma incerteza absoluta. Havendo o término do recenseamento isso vai permitir que o senhor Presidente da República defina a data das eleições", afirmou o porta-voz do PAIGC, João Bernardo Vieira.


Segundo João Bernardo Vieira, se o Governo não marcar uma data para o final do recenseamento eleitoral, o "Presidente terá argumentos para continuar a adiar a fixação da data".

"Nós entendemos que é urgente que o Governo o faça, entendemos que deveria ter sido hoje o fim do recenseamento, mas neste momento há uma incerteza e ninguém sabe quando é o término do recenseamento", salientou.

A Guiné-Bissau deveria ter realizado eleições legislativas a 18 de novembro, mas o escrutínio foi adiado devido a atrasos no recenseamento eleitoral.

Em outubro, a ministra da Administração Territorial, Ester Fernandes, disse que o recenseamento iria ser prolongado por mais um mês, até 20 de novembro, mas, entretanto, o registo de eleitores continua a decorrer.

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, já fez saber que só vai marcar uma nova data para as eleições legislativas depois de o recenseamento eleitoral ter abrangido a maior parte dos cidadãos eleitores.

O PAIGC faz parte do Governo que está atualmente em funções na Guiné-Bissau.
Rispito.com/Lusa, 05-12-2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público