sexta-feira, 1 de março de 2019

Ex-PM são-tomense lidera observadores da União Africana


A missão de observação que a União Africana (UA) vai enviar à Guiné-Bissau para acompanhar as eleições legislativas será liderada pelo ex-primeiro-ministro são-tomense Rafael Branco, confirmou o próprio à agência Lusa.
Image result for rafael branco sao tomeRafael Branco, que foi primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe entre 2008 e 2010, foi convidado para chefiar a missão pelo presidente da Comissão da UA e adiantou que a equipa vai integrar “em princípio, 42 pessoas”.

Embora estejam ainda pendentes algumas questões “logísticas” relacionadas com transportes, o político são-tomense (do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe/Partido Social Democrata) espera chegar a Bissau a 05 de março, permanecendo em território guineense “alguns dias” após o ato eleitoral para acompanhar o período pós-eleições.
As eleições legislativas realizam-se a 10 de março com 21 partidos a disputarem os 102 lugares no parlamento guineense.
Antes dessa data, os observadores da UA vão encontrar-se com membros do governo guineense, partidos políticos, representantes da sociedade civil e da Comissão Nacional de Eleições e membros de outras missões de observação eleitoral.
“Só após esses encontros teremos ideia de como nos vamos distribuir pelo território”, acrescentou Rafael Branco.
Joaquim Rafael Branco nasceu em São Tomé, a 7 de setembro de 1953 e é embaixador de carreira, tendo representado o país na Organização das Nações Unidas (ONU), nos Estados Unidos da América, Canadá e Brasil. Foi Secretário Executivo Adjunto da CPLP e desempenhou cargos governamentais nos setores da Educação, Finanças, Economia, Negócios Estrangeiros, Obras Públicas e Petróleo.
Rispito.comLusa, 01-03-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público