segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Nota de Imprensa no 5/2019: Apoio à Candidatura Presidencial de 24 de Novembro

MOVIMENTO GUINEENSE PARA O DESENVOLVIMENTO
Nota de Imprensa no 5/2019

ASSUNTO: Situação Política Actual e as Eleições Presidenciais de 24 de Novembro e o Apoio
do MGD

O Movimento Guineense para o Desenvolvimento (MGD) reuniu a sua Comissão Política Nacional (CPN) e o seu Conselho Nacional (CN) no Sábado, 26 de Outubro de 2019, para analisar dois pontos essenciais:
  1. A situação política vigente na Guiné-Bissau desde à realização das eleições legislativas de 10 de Março;
  2. As eleições presidenciais de 24 de Novembro e o posicionamento do partido. 

Sobre o primeiro ponto, os dois órgãos do MGD debruçaram-se sobre a evolução da situação social, política e governativa desde às eleições legislativas e pedem uma maior contenção por parte de todos os partidos políticos, de actores independentes e doutras instituições estatais, no sentido de promover um ambiente de diálogo e de consultas permanentes rumo à estabilização do país – uma condição indispensável para a criação do bem-estar económico e social.

A começar, o MGD acompanha com alguma preocupação, a tensão política existente no país, incluindo a marcha que decorreu no Sábado. Ciente da situação da perda da vida humana e doutros ferimentos graves registados, o MGD condena, de uma forma inequívoca e veemente, o uso desporporcional da força policial contra os manifestantes e apela o Ministério do Interior e as autoridades judiciais para investigarem este acontecimento trágico e, consequentemente, levar à justiça todos os implicados.

Por outro lado, o MGD ciente da problemática da droga, da emissão dos passaportes diplomáticos e da atribuição de títulos consulares e honorários, apela às instituições envolvidas, particularmente o Governo, a Presidência da República e a Assembleia Nacional Popular, no sentido de promoverem uma maior transparência na análise e discussão desses assuntos, em estrita defesa da segurança do Estado e dos interesses soberanos da Guiné-Bissau, observando o respeito pela independência institucional, incluindo a esfera judicial.

Sobre o segundo ponto, a CPN e o CN analisaram os preparativos das eleições presidenciais de 24 de Novembro. Em primeira instância, o MGD congratula todos os candidatos presidenciais e recomenda um discurso patriótico e civil durante e após a campanha Eleitoral.

O MGD congratula-se com os esforços nacionais e da comunidade internacional para organizar e financiar o processo eleitoral e pede uma maior celeridade na disponibilização de fundos essenciais para a realização do pleito eleitoral.

O MGD saúda os esforços do Supremo Tribunal da Justiça pela sua seriedade, profissionalismo e celeridade na análise de todas as candidaturas.

O MGD recomenda uma maior transparência por parte da Comissão Nacional de Eleições e do Governo na gestão e organização das eleições presidenciais.

Sendo um partido político que perfilha a ideia de diálogo permanente entre as instituições, o respeito e a promoção dos direitos, das liberdades e das garantias dos cidadãos e o respeito pela dignidade da pessoa humana, o MGD aconselha um diálogo civil e frutífero entre todos os candidatos e os seus respectivos partidos e estruturas, no sentido de garantir um ambiente propício para umas eleições justas, livres e transparentes.

Não tendo apresentado um candidato às eleições presidenciais, a Comissão Política Nacional analisou os pedidos de apoio de cinco (5) candidatos às presidenciais, nomeadamente:
  1. • Carlos Gomes Júnior (Independente)
  2. • Domingos Simões Pereira (PAIGC)
  3. • José Mário Vaz (Independente)
  4. • Nuno Gomes Nabiam (APU-PDGB)
  5. • Umaro Cissoko Embaló (MADEM G-15)
Embora sendo um partido cuja orientação ideológica é a SOCIAL-DEMOCRACIA, com a tendência CENTRO-ESQUERDA, os membros da Comissão Política Nacional analisaram os perfis de todos os candidatos, em pé de igualdade, independentemente das ideologias políticas às
quais pertencem os candidatos do PAIGC, da APU-PDGB e do MADEM G-15.

Sendo um Partido que observa e respeita a democracia interna, após uma profunda avaliação de cada um dos candidatos, procedeu-se à votação, em base do voto secreto, o que terá resultado na vitória do candidato apoiado pelo PAIGC, o Engenheiro Domingos Simões Pereira.

Conforme ditam os estatutos do MGD, a escolha do candidato presidencial, neste caso o Engenheiro Domingos Simões Pereira, ficou também validada pelo Conselho Nacional, através de uma votação secreta e universal.

De salientar que – embora não vinculativos --, os votos (e as recomendações) dos núcleos do MGD na diáspora (Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Alemanha e Brasil) também se recaíram unanimemente sobre a pessoa de Engenheiro Domingos Simões Pereira.

Doravante, o Movimento Guineense para o Desenvolvimento (MGD) apoiará a candidatura uninominal de Engenheiro Domingos Simões Pereira durante a primeira volta das eleições
presidenciais.

Nesta ordem de ideias, os membros da Comissão Política Nacional (CPN) e do Conselho Nacional (CN) do Movimento Guineense para o Desenvolvimento e o seu Presidente, na pessoa de Dr. Umaro Djau, fazem um veemente apelo a todos os seus militantes e simpatizantes em geral, tanto no país como na diáspora, para apoiarem de uma forma massiva e patriótica a candidatura presidencial de Engenheiro Domingos Simões Pereira. Na opinião dos membros da CPN e do CN, Simões Pereira é o candidato que oferece as melhores condições para garantir uma maior estabilidade política e governativa para a Guiné-Bissau, respeitar a Constituição da República, assegurar a independência institucional e granjear o respeito necessário junto dos parceiros de desenvolvimento, quer a nível regional, quer internacional.

Por último, o MGD agradece a todos os candidatos que solicitaram apoios, pela confiança depositada no Partido. Façamos votos que cada um desses candidatos, assim como todos outros militantes e simparizantes do nosso partido, compreendam e respeitem a decisão soberana e democrática dos membros dos nossos órgãos.

“Union, Trabadju, i Desinvolvimentu” (União, Trabalho e Desenvolvimento).

Bissau, 27 de Outubro de 2019

O Secretário-geral do MGD

______________________________________

Paulino Cabral

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público