segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Mais de 98% dos guineenses têm uma opinião negativa sobre o sector do ensino 

O sector do ensino do país é “muito mau”, enquanto 28% considera qualica de “péssimo”, 25,1% de “mau” e apenas 1,7% dos guineenses qualicam o sector da educação de “bom”

Os dados são referentes aos resultados de inquéritos divulgados pela Associação Nacional de Inquiridores da Guiné-Bissau, realizado antes das eleições legislativas de 10 de Março que agora foi tornado público.

De acordo com organização, foram questionados 178 chefes de famílias, que não são professores nem directores de escolas ou funcionários do Ministério da Educação Nacional, sobre o estado do sobre quais prioridades para o Governo relativamente ao sector do ensino.

Na região de Bolama e Quinara, ambas na zona sul do país, as respostas foram positivas, sendo que as regiões de Gabú e Bafatá no leste do país as respostas qualicaram maioritariamente o sector do ensino como péssimas ou muito mau.

No Sector Autónomo de Bissau, bem como as restantes regiões, não foram recolhidas opiniões positivas sobre o sector do ensino.

Sobre as medidas que Governo devia tomar para melhor o sector, 129 dos inquiridos defenderam o pagamento de salários aos professores a salários dos professores, 62 pessoas referiram que as escolas devem ser melhor equipadas, 61 pessoas são defendem que deve ser assegurado o funcionamento da cantina escolas nas escolas do ensino básico e por m 66 pessoas inqueridas referiram a necessidade de formação continua dos professores de diferentes categorias.

Associação Nacional de Inquiridores da Guiné-Bissau precisou que os inquiridores escolheram aleatoriamente as famílias, bem como chefes de famílias homens e mulheres por famílias em zonas rurais e urbanos, de acordo com recenseamento geral da população da Guiné-Bissau.
Rispito.com/e-Global, 23-12-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público