quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Não há provas para condenar os suspeitos

Image result for bastonário da Ordem dos Advogados guineenseO bastonário da Ordem dos Advogados guineense e membro do colectivo de defesa dos acusados de tráfico de droga, afirma que não existem provas para condenar os suspeitos de envolvimento na operação Navarra.

No segundo dia do julgamento de 10 dos 12 suspeitos de envolvimento na maior apreensão de droga no país, Basílio Sanca, que integra o colectivo de advogados que defende os arguidos, afirmou que estes foram torturados e obrigados a confessar um crime que não cometeram.

Basílio Sanca disse ainda que os arguidos “foram submetidos a torturas fortes, para confessar um crime, mas entretanto não existem elementos probatórios que estabeleçam uma ligação directa entre os suspeitos e a quantidade de droga apreendida”.

Estão a ser julgados sete cidadãos guineenses, três colombianos, um mexicano e um maliano, os outros dois, um guineense e outro mexicano, estão a monte e são alvo de um mandado de captura internacional.

Em Setembro, a Polícia Judiciária guineense anunciou a apreensão de 1.869 quilogramas de cocaína no norte da Guiné-Bissau no âmbito de uma operação, que ficou conhecida como “Navarra”.
Rispito.com/RFI, 09/01/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público