quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Guiné-Bissau lança campanha para registo de crianças à nascença

A "Campanha sem nome", para aumentar o registo de crianças à nascença até 2030, foi lançada na Guiné-Bissau, refere em comunicado divulgado à imprensa, o Ministério da Justiça guineense.
A campanha, dedicada ao tema o "continente pode emergir da pandemia como um lugar onde o registo de nascimento universal será uma realidade para cada criança", tem o apoio técnico e financeiro do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da União Africana.

"O objetivo é acelerar os esforços para uma rápida implementação dos compromissos assumidos pelos Estados-membros (da União Africana) para o registo universal de crianças à nascença até 2030 para dar mais dignidade às mesmas e torná-las visíveis à luz dos sistemas sociais do país", salienta o Ministério da Justiça, num comunicado conjunto com a Unicef e a União Africana.

Na Guiné-Bissau, nos últimos três anos, mais de 60.000 crianças guineenses foram registadas à nascença com o apoio da Unicef à estratégia de integrar os serviços de registo de nascimento nas estruturas de saúde.

O país tem atualmente 24 unidades de registo de nascimento espalhadas por vários hospitais nacionais e regionais e alguns centros de saúde.

Em 2017, segundo dados divulgados pela Unicef, a taxa de registo de nascimento na Guiné-Bissau era de 24%.
Rispito.com/Lusa, 132/08/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público