terça-feira, 18 de agosto de 2020

Polémica na eleição do presidente da federação guineense de futebol vai à FIFA

GUINÉ-BISSAU CANCELA JOGO AMIGÁVEL CONTRA CONGO - SOU DJURTU

Vários presidentes de clubes que supostamente participaram na eleição demarcaram-se do ato que consideram ilegal

A polémica em volta da eleição do presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB) vai ser dirimida pela FIFA disse à Lusa a secretária-geral da instituição guineense, Virgínia da Cruz.

Em 08 de agosto, um grupo de clubes e associações da FFGB elegeu o empresário Fernando Tavares ‘Bené’ como presidente da FFGB à revelia dos estatutos e das recomendações da FIFA, segundo Virgínia da Cruz.

Dias depois, vários presidentes de clubes que supostamente participaram na eleição enviaram cartas à secretaria-geral da FFGB a demarcarem-se do ato que consideram ilegal, indicou Virgínia da Cruz.

Na segunda-feira, um outro grupo de clubes e associações endereçou uma petição à federação a pedir a marcação de uma nova data para a realização de eleições para a presidência da instituição.

Perante os dois posicionamentos, Virgínia da Cruz disse ter sido mandatada pelo Comité Executivo (órgão dirigente) da FFGB para informar a FIFA e aguardar instruções sobre qual o melhor procedimento.

A secretária-geral indicou à Lusa que o Governo e o Ministério Público também têm vindo a solicitar informações para analisar a polémica que se agudizou no momento em que o Comité de Ética da FIFA suspendeu, durante 10 anos, Manuel Lopes, presidente cessante e que se preparava para se candidatar a um terceiro mandato à frente da FFGB.

Manuel Lopes foi acusado de comportamento antiético de um dirigente desportivo, ao não prestar apoio moral e físico a um homem que estava a ser alvo de ataques por populares num bairro de Bissau.

Fontes da FFGB precisaram à Lusa que Manuel Lopes viajou para Europa com a finalidade de interpor um recurso sobre a suspensão junto das instâncias da FIFA.

O grupo de associados da FFGB que reclama ter eleito Fernando Tavares, até aqui presidente da Liga Guineense de Clubes de Futebol, acusa o Comité Executivo de manobras para não realizar a eleição, com adiamentos sucessivos da reunião, na esperança de que Manuel Lopes consiga o levantamento da sua suspensão e possa voltar a apresentar-se à corrida.
Rispito.com/Lusa, 18/08/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público