segunda-feira, 14 de setembro de 2020

GuinéBissau receptiva à operação de sedução diplomática da Turquia

undefined

A cooperação entre a Guiné-Bissau e a Turquia vai ter resultados frutíferos a curto prazo, está convicta a chefe da diplomacia guineense, Suzi Barbosa. No âmbito da recente recente visita Guiné-Bissau recebeu dois ventiladores que deverão ser utilizados para o tratamento dos casos graves da Covid-19. Mas também está prevista na agenda a assinatura de acordo no domínio aéreo em que a Turquia compromete-se a abrir ligações com a Guiné-Bissau. 

Em declarações a imprensa dia 10 de setembro, ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa, destacou os passos signicativos já foram dados e que a Guiné-Bissau foi beneciada. 

Suzi Barbosa confirmou que foi assinado um memorando de entendimento que irá permitir a formação na área de diplomacia, bem como instalação de uma academia de diplomacia no país com apoio do Governo turco. 

O acordo assinado no domínio aéreo vai permitir para que passe a voar para a Guiné-Bissau a companhia Turkish Airlines que igualmente vai abrir novos horizontes para o país. Também vai criar novos postos de trabalho”, sublinhou. 

Para a chefe da diplomacia guineense o primeiro sinal forte do reforço da cooperação irá acontecer com a abertura da embaixada da Turquia em Bissau, com base no principio da reciprocidade Suzi Barbosa garantiu também que a Guiné Bissau vai abrir a embaixada na Turquia nos próximos meses”, tendo o Presidente turco Erdogan já aprovado a abertura das embaixadas. 

Para além da diplomacia, já são notados alguns resultados principalmente no domínio de defesa e segurança, com a circulação de viaturas fornecidas pela Turquia para corporações policiais e unidades militares guineenses.

Depois de assumir às funções de Presidente da República, a Turquia foi um dos primeiros países visitados por Umaro Sissoco Embaló que considerou ter enormes potencialidades para a cooperação. Nos últimos tempos, a Turquia mantém cooperação com a Guiné-Bissau no domínio da educação, sendo que, o país já recebeu dezenas de bolsas de estudo. 

Pouco conhecidos ainda são os deveres da Guiné-Bissau com a Turquia, mas que devem ser traduzidos em apoios diplomáticos e internacional, posições vitais e estratégicas para Ancara quando tem sido violentamente criticada pela sua intervenção militar na Líbia e ambições no Mediterrâneo. Mas também a Guiné-Bissau poderá tornar-se numa das portas africanas para a entrada das empresas turcas.
Rispito.com/e-Global, 14/09/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público