terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Que destino para Aristides Gomes no fim da missão da UNIOGBIS ?

O mandato do Gabinete Integrado de Consolidação da Paz das Nações Unidas na Guiné-Bissau - UNIOGBIS -  termina a 11 de dezembro e o antigo primeiro-ministro Aristides Gomes está refugiado na sua sede em Bissau desde março, quando o seu governo foi demitido e ele se sentiu ameaçado, depois de considerar ilegal a tomada de posse do Presidente Umaro Sissoco Embaló a 27 de fevereiro de 2020, antes do veredicto do Supremo Tribunal de Justiça, que viria a rejeitar o recurso de Domingos Simões Pereira.

A questão em voga na Guiné-Bissau é saber qual o destino que será dado ao ex-primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes ? 

Suleimane Cassamá, membro do colectivo de advogados que defende Aristides Gomes, reconhece a preocupação, mas defende que mesmo com o encerramento da UNIOGBIS, a ONU continuará a ter na Guiné-Bissau uma representação permanente e é para lá que irá Aristides Gomes.

O advogado lembrou que a ida de Aristides Gomes para as instalações da UNIOGBIS foi uma estratégia concertada entre elementos da comunidade internacional e o próprio ex-primeiro-ministro.

Suleimane Cassamá afirma que a UNIOGBIS, que é uma estrutura da ONU, termina a sua missão na Guiné-Bissau, mas a responsabilidade pela integridade física de Aristides Gomes continua a pertencer a ONU.

"...a UNIOGBIS é uma estrutura das Nações Unidas, as Nações Unidas não vão de certeza fechar, então achamos que a responsabilidade se transfere para as Nações Unidas no momento do fecho da UNIOGBIS, as Nações Unidas continuarão a funcionar na Guiné-Bissau, pelo facto  achamos que Aristides Gomes vai ser transferido para a sede das Nações Unidas na Guiné-Bissau". 

O advogado Suleimane Cassamá defende que Aristides Gomes gostaria de estar num país estrangeiro e que ainda persistem ameaças à sua integridade, com o Procurador-Geral da República, Fernando Gomes, a exigir que ele seja entregue à justiça guineense.

Enquanto não for encontrada uma solução sobre a situação, Aristides Gomes vai continuar nas instalações da ONU em Bissau e a trabalhar regularmente, conforme disse o seu advogado Suleimane Cassamá.
Rispito.com/RFI, 08/12/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público