quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Ébola: Portugal equaciona enviar equipa para a Guiné Bissau

Portugal está a equacionar enviar uma equipa para a Guiné Bissau para ajudar a população a dar resposta ao vírus do Ébola "na linha da frente", anunciou hoje o ministro da Saúde.


Paulo Macedo esclarecia, desta forma, os deputados da Comissão Parlamentar de Saúde sobre as respostas que Portugal tem definidas para combater eventuais casos de Ébola em Portugal.

De acordo com o ministro, as autoridades portuguesas têm mantido "contactos sistemáticos" com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), tendo concretizado apoios, ao nível da formação e de envio de material para Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e São Tomé.

Em relação à Guiné, Paulo Macedo pormenorizou o apoio, revelando que as autoridades de saúde estão a equacionar, conjuntamente com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a criação de uma "estrutura para prestar apoio benemérito na chamada linha da frente".

"É, de facto, no local que poderemos ser mais úteis", disse, adiantando que o diretor-geral da Saúde vai deslocar-se à Guiné Bissau no próximo dia 17 para avaliar essa possibilidade.

Na sua intervenção, Paulo Macedo referiu que, em Portugal, "o risco é baixo, mas o caso é sério", referindo-se às probabilidades da entrada do vírus no país.

A infeção pelo vírus do Ébola de uma auxiliar de enfermagem em Espanha, naquele que se tornou o primeiro caso de contágio na Europa, motivou hoje várias das questões colocadas ao ministro da Saúde.

O vírus do Ébola já matou quase 3.500 pessoas em mais de sete mil casos conhecidos da doença em países da África Ocidental, sobretudo na Guiné-Conacry, Libéria, Serra Leoa e no Gana.
Diario de Noticias, 08 de Outubro de 2014

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público