quinta-feira, 28 de abril de 2016

JORNADA DE REFLEXÃO  SOBRE ESTABILIDADE NA GUINÉ-BISSAU



Sob o “lema: Nô Mistida i Estabilidade”, terminaram esta quinta-feira em Bissau, dois dias de Jornadas de busca de solução sobre o foco da crise politica promovidas pelo Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (ONIOBISG).

Participaram no evento, representes dos partidos políticos, da Sociedade Cível, do Poder Tradicional, Confissões Religiosas, Comunidade Internacional e militares.

Miguel Trovoada representante da ONU em Bissau rememorou aos participantes que após eclodir da crise política apontaram a necessidade de elaboração de um pacto de estabilidade ou de regime para a criação de uma plataforma de entendimento suscetível de propiciar um quadro de relacionamento político entre as instituições, assente nos pilares do Estado de Direito e no respeito da Constituição da Republica, mas não foram tido nem achados.

Trovoada que termina missão a 30 deste mês na Guiné-Bissau, deixou bem claro que sem
a estabilidade a vida decorre num ambiente de imprevisibilidade e de incertezas permanentes, incapaz de transmitir a confiança a população em geral e os agentes do desenvolvimento e o carácter aleatório dos empreendimentos reduz a iniciativa, receia a criatividade e paralisa o país, por isso a estabilidade é uma exigência fundamental para sobrevivência dos cidadãos.

O Presidente ANP, Cipriano Cassamá disse que é urgente encontrar, uma solução para a saída a crise para que os guineenses possam viver na estabilidade efetiva.

Durante os trabalhos, os participantes debaterão entre outros temas: Os Mecanismos de Concertação Operacionalização da Independência dos Poderes na Constituição, de Geradores de Confiança e Esforços de Reconciliação Nacional com base no Dialogo e de Seguimento e Apropriação Nacional.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 28-4-16

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público