domingo, 22 de maio de 2016

DSP proferiu graves acusações contra José Mário Vaz num comício popular em Bissau 

O Presidente do PAIGC desvendou o segredo, denunciou este sábado que o Presidente Mário Vaz exportou catorze contentores de área pesada, recebeu treze milhões de dólares em nome do governo para a exploração de Bauxite e foi quem trouxe o barco de grande porte que devastou o pescado nacional. 

No Comício Popular associado com os cinco partidos PCD, UM, PUN, PUSD e PST, Simões Pereira acusa o Chefe de Estado de introduzir uma grande quantidade de madeira no barco para exportação que foi intercetado pelo governo, o que PR acabaria de defender que nunca pronunciou-se contra a exportação da madeira. “Ladrão não pode representar o povo. Vamos continuar a lutar contra a ditadura e acabar com o sofrimento do povo”.

DSP convidou ao José Mário Vaz levantar a sua imunidade enquanto Chefe de Estado para esclarecerem todas as acusações que é alvo no fórum judicial, para ver depois quem ficará retido ali. Indicando dia em que Mário Vaz deixar o poder vai imediatamente ao seu quarto ele já o conhece (prisão) porque sabe o que fez.

Simões Pereira sublinhou que PR ordenou a retirada da Bandeira Nacional em frente do Palácio da Republica em detrimento da bandeira do Marrocos, desrespeitou o Hino Nacional com propósitos de mendigar esmola ao Rei de Marrocos e no comício de hoje colocou um dispositivo de militares para atemorizar os manifestantes, pelo que não tem dúvida que quando chegar a hora certa os militares estarão ao lado da verdade e acabarão de o remover no Palácio da Republica, por crimes de violação sistemática das leis.

Os representantes das cinco formações políticas manifestaram-se firmes ao lado do PAIGC até que a verdade venha a tona.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 22-05-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público