quinta-feira, 28 de julho de 2016

Comunicado de Imprensa
O PAIGC tomou conhecimento que um grupo de cidadãos residentes do norte do país, nomeadamente de Morés e Mansabá foram aliciados no sentido de virem a Bissau solicitar uma audiência com o Presidente da República no intuito de reclamarem a devolução do dinheiro relacionado com a venda dos toros de madeira, imputando essa acção ao I Governo Constitucional liderado pelo camarada Domingos Simões Pereira.
O PAIGC alerta os guineenses de que se trata de mais uma manobra engendrada pelos nossos adversários políticos, desesperados com o rumo dos acontecimentos e da certeza do nosso Partido na vitoria final contra esta cruzada lancada para destruir o PAIGC e os seus mais proeminentes dirigentes, entre os quais o seu líder, camarada Eng. Domingos Simões Pereira.
Recorde-se que foi o próprio Eng. Domingos Simões Pereira quem na sua qualidade de então Primeiro-Ministro, mandou descarregar contentores embarcados clandestinamente no porto de Bissau, apreendendo toda a documentação, facto que permitiu descobrir que o maior envolvido nesses negócios é a empresa do actual Presidente da Republica atualmente tendo como gestor o seu próprio filho, Senhor Herson Goudiaby Vaz.
Por sua vez, o então Primeiro-ministro remeteu esses documentos de imediato ao próprio Presidente da Republica para seu conhecimento.
Em várias ocasiões o PAIGC procedeu a denúncias sobre este tenebroso negócio das madeiras, bem como de outros e está hoje na posse de provas que demonstram de forma clara e irrefutável quem são na verdade os verdadeiros implicados neste negócio, que mereceu, inclusive, uma firma tomada de posição do Governo do PAIGC chefiado pelo Eng. Domingos Simões Pereira. De igual modo, uma Comissão Parlamentar de Inquérito realizou uma vasta operação de investigação e está hoje na posse de elementos e de provas que confirmam de forma irrefutável quem são na verdade os verdadeiros implicados e beneficiados com o dossier madeiras.
O PAIGC alerta os guineenses que toda esta montagem não visa mais do que uma vã tentativa de denegrir a imagem do nosso Partido e fazer com que um largo sector da nossa comunidade tenha uma percepcao errada dos factos. Aliás, o nosso Partido, já conhece os instigadores desta acção, inclusive a pessoa que alugou a viatura que transportou os ditos contestatários e num momento oportuno o denunciará publicamente e exigirá as devidas reparações que este tipo de actuação impõe.
O PAIGC alerta os guineense de que os seus adversários desesperados pela resistência, tenacidade, inteligência e sentido de Estado de que o nosso Partido e seus dirigentes estão dando provas, contornando a cada momento os obstáculos e demais armadilhas fabricadas pelos mentores da ditadura na Guiné-Bissau, estão tentando a todo o custo fazer com que o nosso Partido e seus dirigentes e militantes se intimidem e deixem de lutar para garantir as conquistas que a liberdade e a democracia trouxeram para o povo guineense, deixando-lhes campo aberto para continuarem a impor a facilitação da circulação da droga, a corrupção, os desmandos e praticas inconstitucionais e mais outras graves praticas lesivas ao respeito pelos direitos humanos, entre outros.
Bissau, 28 de julho de 2016
O Secretariado Nacional do PAIGC
Aly Hijazi
Secretário Nacional

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público