segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Comunicado à imprensa
O Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento esta acompanhar com preocupação a situação política vigente no país, mormente a crise política institucional, resultante de bloqueio de funcionamento de Assembleia Nacional Popular e do Governo.
Esta crise que dura a quase dois anos, foi provocada pela atitude pouco patriótica da classe politica guineense, animado com propósito de satisfazer interesses de grupos ou indivíduos, pondo de lado o interesse colectivo, das populações, esquecendo a razão pela qual foram eleitos.

A presente crise, esta a ter consequências muito negativas na vida dos cidadãos, a mesma aprofundou ainda mais a débil situação financeira, económica e social do país agravada à falta de pagamento do magro salário de funcionários públicos;

Até ao presente momento as aulas nas escolas publicas não iniciaram, consequências das sucessivas greves dos sindicatos do sector, podendo comprometer o presente ano lectivo.
Recorda-se que foram assinados dois acordos (Bissau e Conakri ) cuja implementação tem suscitado interpretações diversas dos signatários, facto que motivou a sua não aplicação efectiva;

Esta situação preocupa tanto os guineenses e os mediadores, bem como toda a Comunidade Internacional, facto que fez deslocar-se a Bissau no dia 5 do corrente. a Presidente em exercício da CEDEAO. Presidente da Libéria, Drª Elien Johnson, corn o propósito de facilitar a implementação dos acordos.

Mais uma vez assistimos dificuldades na implementação dos acordos assumimos.
Tendo em consideração que reservas os referidos acordos Boa Fé :

Tomando em consideração que os acordos são concluídos e assinados para serem compridos (PACTA STINT SERVANDA);

Tendo ainda em consideração que a difícil situação que o país vive provocada por esta presente crise politica e, a imprevisibilidade das consequências negativas da sua eventual persistência;

Assim, o Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento decide:
  • 1. Exigir as partes signatárias dos Acordos de Bissau e Conakri a sua implementação o mais breve possível por forma a tirar o pais nessa crise;
  • 2. Exortar a Sua Excelência Presidente da Republica enquanto primeiro magistrado da nação e, como responsável pela gestão da presente crise iniciada a mais de um ano, a assumir com responsabilidade, as tarefas de solução imediata de forma a acabar com o sofrimento da população que nada tem a ver com a mesma;
  • 3. Manifestar a disponibilidade da Sociedade Civil na busca de soluções para a saída de crise;
  • 4. Apelar a Comunidade Internacional, em particular a CEDEAO no sentido de exigir com vigor os actores políticos signatários dos dois acordos, a sua implementação imediata;
  • 5. Apelar a população em geral no sentido de estarem serenos e firmes na defesa dos seus direitos cívicos e da cidadania.
Bissau, 07 de Novembro de 2016.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público