quinta-feira, 5 de outubro de 2017

UE apoia com mais 22 milhões de euros redução das mortes de mulheres e crianças

A União Europeia (EU) anunciou nesta quinta-feira que vai continuar a apoiar o programa para redução da mortalidade infantil e das mulheres na Guiné-Bissau com um financiamento de cerca de 22 milhões de euros.
Image result for ue"É para mim um prazer partilhar convosco este evento de divulgação do Acordo de Financiamento entre a União Europeia e os seus parceiros de implementação (Entraide Médicale Internationale, Instituto Marquês Valle Flôr e Fundo da ONU para a Infância) no âmbito da continuação do apoio da União Europeia ao Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materno-Infantil", afirmou o representante da União Europeia em Bissau, Victor Madeira dos Santos.
O programa teve início em 2013 e pretende diminuir a mortalidade das crianças menores de cinco anos e das mulheres grávidas com consultas, actos médicos e medicamentos gratuitos.
"A favorável avaliação externa ao programa, feita em 2016, recomendou a sua continuação e cobertura nacional para os próximos quatro anos. O custo total da segunda fase é de 22,7 milhões de euros, sendo 88% do montante financiado pela União Europeia e os restantes 12% pelos parceiros associados e cooperação portuguesa, através do Instituto Camões", acrescentou.
A segunda fase do programa, hoje apresentada em conferência de imprensa, vai beneficiar directamente cerca de 200 mil crianças menores de cinco anos, 300 mil mulheres com idades entre os 14 e os 49 anos e 70 mil mulheres grávidas.
O programa engloba as 11 regiões sanitárias do país, abrangendo um total de 132 centros de saúde e inclui formação de mais 635 novos agentes de saúde comunitária e o abastecimento de medicamentos.
"Sem esta frutífera cooperação não teria sido possível atingir os níveis de indicadores de saúde que actualmente registamos. Nos próximos anos o apoio dos parceiros internacionais continuará a ser fundamental", afirmou o ministro da Saúde guineense, Carlitos Barai.
Segundo o ministro da Saúde guineense, em 2014, a taxa de mortalidade infantil de crianças com menos de um ano foi de 55 por cada mil nascimentos e de crianças até cinco anos de 89 mortes por cada mil nascimentos.
"A taxa de mortalidade materna ronda o valor de 900 mortes por em 100 mil. Tendo em conta os dados estatísticos torna-se claro que a Guiné-Bissau tem de melhorar substancialmente os seus indicadores para conseguir alcançar as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável", salientou.
Rispito.com/Lusa, 05-10-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público